18/08/11

A tia Crise




A crise chegou e tal como essas tias chatas que chegam cá a casa e, sem que ninguém as convide: sentam, alapam, comem, bebem... e... "ainda não foram embora???"

"Nãããao!"

Pois é, tia chata é assim: chega e deixa-se estar.
E assim é a crise.
Veio sem ninguém a chamar!
Chegou e ficou.

Aos portugueses fizeram crer que ela é portuguesa. E que a culpa de toda esta crise é do povo português que não sabe governar suas economias e gasta mais do que aquilo que tem.
Imagine-se que agora, até se apresentam na TV umas distintas senhoras doutoradas na arte de ensinar a cozinhar bem & barato que se dispõem a nos apresentar dicas de poupança e de como economizar em nossas casas, porque andam a querer convencer-nos de que nós, cidadãos e cidadãs, somos todos uns incompetentes no que concerne a gerir orçamentos e despensas.

Mas eis que, afinal, chegou-se à conclusão de que a dita crise também assola outros desafortunados da Europa (?).
É tão descarada, essa crise, que incomoda o mundo inteiro. Daí haver quem a chame de crise mundial.
É grave. Muito grave.
Porque não vai ser tarefa fácil apregoar por esse mundão as ditas dicas na TV.





5 comentários:

Luna Sanchez disse...

A tia chata é nossa velha conhecida aqui...

Um beijo.

Jéssica Trabuco disse...

Haja dica!
Adorei a imagem.

Lucas disse...

Crises individuais, ou coletivas ou mundiais... economicas, financeiras ou emocionais... devemos saber enfrentá-las não importa quem as causou com a ctz de que elas passam...

bjxxx

Lena disse...

Carmen
É verdade!Essa tal de crise mundial vai nos perturbar diversas vezes por dia, via mídia impressa, televisiva e qq outro canal de comunicação que possa nos atingir e incomodar. Até aqui no Brasil "as ondas" da crise já arrebentaram nos nossos mares.
Mas, bons dias virão. Bjkas com muito carinho!

Natália Rocha disse...

Nossa, Carmen! Que situação complicada. Esse momento de crise assola o mundo inteiro mesmo, e a culpa eu me atrevo a dizer que é desses governantes, desse senso capitalista que visa riquezas econômicas, que favorecem os mais ricos mais e mais e deixam o povo, a sociedade a mercê de sua própria sorte.


Que tenhamos força pra passar por todas essas crises.

um beeijo, querida!