14/06/15

O sol nasce para todos?








Quero ter os olhos
de quem não vê,
ter os ouvidos
de quem não ouve,
ter o coração
de quem não sente.

É bem melhor
não ver a chibata
nem o corpo que cai.
É bem melhor
não ouvir o grito da dor,
não ouvir o choro da fome,
não dar conta
do lancinante uivo da morte.
É bem melhor
não sentir a culpa,
não sentir
a incompetência do amor,
a hipocrisia da fraternidade,
a insensatez da fé,
a falência da honra.
É bem melhor não ter coração.

Dormir
e acordar.
Acreditar que o sol
nasce para todos.

http://www.stockvault.net/


A escravidão, a que ultraja a nossa História e, pensávamos já ter sido erradicada, convive connosco mais de perto do que julgamos.
Pratica-se o tráfico de seres a quem é negado o direito a ser gente, retirando-lhes o resto de dignidade que a vida lhes deixou. - Tráfico de seres humanos  aqui

 Seres que são explorados de forma brutal para o comércio sexual; para a indústria; para agricultura; para o que for preciso!
Sem saber, até podemos estar a contribuir para essa exploração de mão-de-obra escrava, quando, por exemplo, comemos. - aqui

Pratica-se o tráfico e/ou exploração na forma que, todos concordam, ser a mais vil de todas: a usar crianças.  - aqui
A salientar que todas as oportunidades são aproveitadas para fazer das crianças novas vítimas, como nos alerta a UNICEF:
"Desde o princípio do ano, não passou uma única semana sem haver relatos de pessoas... que atravessam o Mediterrâneo...As crianças fazem cada vez mais parte desse êxodo... os perigos que todas essas crianças enfrentam antes, durante e depois dessas travessias são incomensuráveis ... e estão vulneráveis a abusos e exploração."  - aqui

* Helena de Gubernatis, Unicef Portugal - tel. +351 21 317 75 13  -  hgubernatis@unicef.pt


29 comentários:

Maria Eu disse...

Nasce para todos, sim, mas há quem o roube a muitos!

Um beijo, Carmem. :)

Ghost e Bindi disse...

Precisamos saber que também somos responsáveis pelo que acontece fora de nosso mundo particular. Todos conectados, é preciso cuidado com o que nos é oferecido a custos que parecem baixos demais, pois podem ter custado o sacrifício de muitos seres humanos. Não há preço para a vida, nem para a liberdade.
Uma feliz semana!

Bíndi e Ghost

melguinha2 disse...

É claro que o sol nasce para toda a gente,querida Carmen!! Desejo tudo de bom para ti,excelente restinho de mês de Junho,muitos cumprimentos e até breve!!

Bergilde disse...

Profunda reflexão de uma triste realidade que perdura por séculos,mudando nada ou quase nada aqui e ali,mas enquanto houver voz e ação para combatê-la não se perde a esperança,esperança sim por dias melhores para todos e não somente para alguns.

Graça Pires disse...

Um poema de que está atento ao que se passa em seu redor. Uma imensa reflexão sobre os temas que envergonham o ser humano. Obrigada pela chamada de atenção. Um beijo.

✿ chica disse...

Ele realmente nasce pra todos, mas infelizmente vemos coisas e fatos que nos fazem refletir...bjs, linda semana! chica

Giga disse...

O sol é para todos, apenas uma pena que nem todo mundo gosta da mesma forma, porque eu tenho grandes preocupações. Saudações.

Emília Pinto disse...

É vontade do sol nascer para todos, é isso o que ele quer qaundo aparece todos os dias sem um sequer faltar; podemos até não o ver mas o astro rei lá está, atento, pronto a mostrar os seus raios dourados logo que aquela nuvem teimosa sair da frente. Mas, o ser humano não deixa que ele ilumine todos os habitantes desta terra, também conhecida como Mãe natureza também de todos. Nós sentimo-nos também um pouco culpados por tanta falta de humanidade, é uma gota no oceano aquilo que podemos fazer, mas é de gotas que se formam os grandes lagos, os rios e os mares. Temos a obrigação de fazer o que estiver ao nosso alcance, mas se não tivermos os governantes empenhados a situação pouco ou nada melhora. É com grande tristeza que vemos as noticias desses seres humanos a pedirem um pouco de água quando do outro lado vemos desperdíciois enormes. Nem sei mais o que dizer, amiga! Nunca me imaginei a ver cenas destas praticados por seres inteligentes , ditos " Homo sapiens "
Obrigada por trazeres um tema tão pertinente que a todos choca. Beijinhos
Emília

Guaraciaba Perides disse...

todas as denúncias são verdadeiras e em todos o níveis somos de certa forma responsáveis pelas denúncias de misérias sociais...e o pior de todos os males é a nossa incapacidade de administrar a mudança necessária para transformar o mundo em um um mundo solidário de fato...muitas são as teorias políticas mas todas esbarram nos fatores que impossibilitam qualquer transformação pois segundo Cristo "amar o próximo como a ti mesmo" será o único meio de salvação.
Um abraço

Bandys disse...

Ola Carmem,
Dizem que o sol nasce pra todos,
mas a sombra só pra quem corre atras.

Boa semana ,
beijos , paz e luz

Jossara Bes disse...

É triste, muito triste!
Fatos estarrecedores, cruéis, são mostrados frequentemente.
Quando isso vai terminar, eu não sei, porém acredito que a humanidade
de cada um, desperte!E que não demore!
Beijo carinhoso!

EU disse...

De facto era bem melhor ainda ter um olhar inocente e acreditar que o sol quando nasce é para todos. Gostei imenso do poema, no qual o sentir social está bem patente.
O texto que se lhe segue (com ligações aos sites) está bem colocado; nunca é demais alertar para estas problemáticas.
Este mundo não avança, retrocede...
Bjo, Carmen

Diana Fonseca disse...

Infelizmente, não da mesma forma.

Fê blue bird disse...

Querida amiga, não podemos ignorar estas atrocidades e divulgá-las é a nossa obrigação.

O sol devia nascer apara todos, mas infelizmente há quem nunca o veja por culpa de outros.

Um beijinho

Pedro Luso disse...

Parabéns, amiga Carmem, pelo belo poema, com essa força social nele embutida, que conjuga beleza com denúncia. É desse tipo de arte que precisamos, para que nenhuma injustiça fique sem que se saiba de sua autoria.
Abraços.

heretico disse...

"temos ouvidos e vemos/ não podemos ignorar..."
a Poesia também é uma arma! contra a injustiça os direitos do homem.

gostei muito.

beijo

Pérola disse...

É uma igualdade muito desigual.

Beijinhos

ReltiH disse...

UN GRAN POEMA QUE A LA VEZ ALTERA LOS SENTIDOS.
ABRAZOS

Miguel disse...

Olá, Carmem
Regressei de viagem e estou agradecendo as visitas amigas.
Obrigado por estares sempre presente.

O Sol, quando nasce, nasce para todos. Mas, na sua viagem até à Terra, é vítima de muitos desvios. E quando chega ao seu destino... já só atinge uma percentagem mínima de pessoas - a maioria fica na sombra!

Que o teu fim de semana seja de muito sol.

Até ao próximo dia 24
Um beijo
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

MARIPA disse...


Carmem querida

Como seria bom que o sol nascesse para todos! O mundo seria melhor, nós seríamos melhores. O que temos é a sombra tomando conta de cada vez mais injustiçados.

Gostei imenso do poema, dos alertas que nos dá[sempre muito bem documentados] e que denunciados apontam os problemas.

Beijinho amigo. Continue sendo assim,sentida e presente.Bem haja.

Manuel disse...

Belo, magnifico e muito oportuno este lindo poema.
É verdade e é muito bom que as vozes se levantem para acabar com este flagelo.
Vai ser dificil porque as pessoas tem perdido os valores, têm esquecido a fraternidade e o amor.
Se atentar-mos bem, todos nóa somos escravos dos próprios governos que nos usam, nos exploram e apenas olham para o lucro o prejuizo que podem colher.
Um abraço

Delfim Peixoto disse...

Infelizmente, nasce para uns... para outros, apaga-se.

Rita Freitas disse...

Infelizmente uma realidade que muitas vezes preferimos ignorar.
Um texto que apesar de triste é belo.

bjs

Marisa Giglio disse...

Carmem , seu poema é um grito de beleza denunciando as desigualdades sociais . Sua escrita nos faz refletir sobre o brilho do sol . Gostei demais do post como um todo . Obrigada . Beijos

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Magnífico Poema sobre o Amor que falta a quem mais dele carece: sobretudo as crianças.
Oportuno, presente, real, ele grita para não sofrer e sofre para não gritar.
Sensibilizou-me muito.



Beijos


SOL

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema atento ao mundo.

o sol quando nasce é para todos claro, mas nem todos infelizmente conseguem ver ou sentir o sol.

beijo

:)

Helena disse...

Carmem, minha querida, estive aqui dias atrás, mas como o tempo estava curtinho não pude deixar nenhum comentário. Preferi ler aos poucos os artigos dos links indicados. Emocionou-me o teu grito de protesto num poema tão magistralmente escrito. Condensaste em versos delicados e sentidos toda a revolta que permeia as almas sensíveis e generosas como a tua. Sabemos que muito se tem feito para barrar essa monstruosa escravidão de seres humanos, o tráfico e a exploração da mão de obra entre tantos outros horrores que alguns seres humanos (?) e renomadas empresas conseguem praticar de forma impune. Sabemos que muito se tem feito, mas infelizmente muito ainda há para se fazer, a fim de sanar estes males que só degradam e aviltam os seres humanos que merecem respeito e o exercício de sua dignidade como "gente". Mesmo que tenhamos notícia desse estado de coisas, dessa vergonha mundial, existem coisas que ficam camufladas, divulgadas apenas pela metade. Por isso, publicações como a tua revelando um estado de coisas tão deprimente merece todo o nosso apoio. Parabéns, minha linda, por esse grito social que vem atingir em cheio o nosso mundinho, muitas vezes egoísta e tão centrado em nossas próprias dores. Acordar é preciso!
Quero agradecer pelo carinho demonstrado sempre que me visitas. É um prazer ler as tuas reflexões e as sábias e ternas palavras que me deixas.
Não tenho visitado com a frequência que gostaria os blogs que tanto gosto, como este teu, pois tenho que às vezes fazer um repouso forçado buscando o melhor para que a minha princesinha possa chegar a este mundo cercada de bênçãos. Se dependesse apenas do meu amor... Mas tenho me cuidado sempre.
Que nunca faltem sorrisos para enfeitar teu rosto e estrelas para iluminar teus caminhos.
Um beijo no teu coração,
Helena

Ana Freire disse...

Um post espectacular, Carmem... que nos obriga a uma profunda reflexão... o sol nasce para todos... mas bastante menos, conseguirão apreciar e desfrutar de tal privilégio... infelizmente!
Um grande beijo! Votos de um bom domingo! Pedindo imensa desculpa pela ausência, por aqui, nas últimas semanas, devido a uma avaria no pc.
Ana

MARILENE disse...

Impossível não ver, não ouvir, não sentir... E sofredor o fato de que, excetuando a conduta de respeito individual, nada podemos fazer. Em todos os cantos do mundo, há muitos que não se podem beneficiar da luz do sol. E os que poderiam romper os elos das correntes permanecem com as mãos para trás. Bjs.