05/07/15

O verão despe-nos a tristeza




A esta altura em que o sol se eleva bem no cimo de nossas cabeças, obrigando-nos a cerrar os olhos e a permitir abrir o coração à expectativa, seja lá do que for, despimos, quase sem dar por isso, o casaco da tristeza. E mesmo nos casos difíceis daquela tristeza que já não é casaco, mas uma sobre-pele sobre um corpo abatido, mudamos-lhe o tom para um dourado que rime com saúde e escondemo-la sob roupagem colorida, apelando à alegria, que se apodere do que se apoderou de nós.


Isto não é conversa infundada de amante do verão, tomada da irresponsabilidade própria do amor desmedido, que não reconhece limite. Não.
O verão traz-nos de volta as temperaturas adequadas para despir, não só a tristeza, como a roupa pesada que impediu a pele, por meses a fio! de respirar e transpirar - a transpiração, para além da sua função reguladora da temperatura corporal, permite à pele expelir impurezas.

O verão traz o sol, em todo o seu esplendor.

Já é mais que sabido que sol em excesso faz mal: não faltam alertas sobre isso. Já deveria estar mais do que interiorizado por quem usa e abusa.
Mas, se de um lado, temos os abusadores do sol, do outro lado, exactamente oposto, temos  os tementes do sol, que o culpam de todas as maleitas e, não sabem usufruir de seus benefícios, que estão ali, tão perto, na ponta de um raio de sol.

O problema não está no sol: está em nós.
Somos seres de excessos / extremos.

Se soubermos fazer uso do sol com conta, peso e medida, como é necessário em tudo nesta vida, teremos um suplemento inteiramente grátis e aprazível.
Porque o sol permite ao nosso organismo sintetizar uma vitamina extremamente importante para nossa saúde: a vitamina D, que 

  • é necessária para a fixação do cálcio nos nossos ossos;
  • fortalece os músculos;
  • regula o funcionamento das células imunitárias, já havendo estudos comprovados da prevenção de inflamação, daí resultasse uma corrente médico-científica que hoje defenda que a vitamina D é capaz de melhorar o curso da Esclerose Múltipla. **
Vamos compreender como funciona o mecanismo:
- A vitamina D sintetizada pela pele é a vitamina D3, diferente da obtida através da alimentação.
- A vitamina D3 é produzida por células da pele ao receberem raios ultravioleta B.
Claro está, que é um processo químico complexo que não fica por aqui, mas este trecho é o essencial para que tomemos atenção ao alerta que o Dr. Alexandre Feldman nos faz, quando diz que:
"Um dos maiores protectores celulares, da pele e de todo o organismo, contra o câncer, é a vitamina D."       leia aqui

Para além de tudo o mais, o sol estimula as hormonas que nos proporcionam bem-estar. 



O médico (pediatra ou médico de família) ensina a mamã a levar seu bebé a tomar banhos de sol, pelo início da manhã, começando com uns míseros 5 minutos de exposição e ir, gradativamente, aumentando até os 15 ou 20 minutos.

Porque o sol é essencial para nossa saúde, desde pequeninos.
O problema é que crescemos e desaprendemos.

Dr. Alexandre Feldman acrescenta:
"Os raios ultravioleta B – único comprimento de onda capaz de se transformar em Vitamina D – são bloqueados de penetrar na pele pelos protectores e bloqueadores solares".

Conclusão:
Não é a besuntar-nos dos pés à cabeça com protector/filtro solar e a estatelarmo-nos na toalha a esturricar ao sol, que conseguiremos uma boa "provisão de vitamina D". Pelo contrário: exposições prolongadas não são sinónimo de quantidades maiores de vitamina D, pois os raios ultravioleta B também a degradam!
Contra-senso?
Não.
É a natureza a funcionar no seu melhor   =)


** A Esclerose Múltipla, assim como outras doenças que têm a sua progressão controlada por medicamentos de uso continuado, são uma alta fonte de renda para a indústria farmacêutica.
Claro, que não se tira o mérito a esses medicamentos valiosos que surgiram à custa de muita pesquisa e investimento desde meados do séc.XX e, que trouxeram e continuam a trazer esperança! Porém, e igualmente importante: é imperativo que não se fechem portas a alternativas (simples e acessíveis), por conta de interesses financeiros.
Walter Feldman, médico e político publicou o livro "Vitamina D e Esclerose Múltipla: a chave brasileira das doenças auto-imunes" em que apresenta o tratamento proposto pelo neurologista brasileiro Cícero Coimbra, livro que foi alvo de muita polémica, como se pode verificar    aqui

E na Universidade do Minho, no Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde a equipa científica do neurologista João Cerqueira também concluiu, "em paralelo com equipas internacionais, que a vitamina D, principalmente a transmitida pelo sol, beneficia o tratamento dos doentes de Esclerose Múltipla".     aqui

Apesar de o excesso de calor (não sol) poder ser um exacerbador dos sintomas da E.M., com medidas adequadas para combater o calor, a exposição solar é possível e benéfica.    aqui


41 comentários:

✿ chica disse...

Eu sou uma que gosto do sol. Não fico deitada me bronzeando.mas o pego enquanto caminho! E faz uma diferença em nossas vidas. Mas, como em tudo nela. há de se ter equilíbrio e moderação! bjs, chica e uma semana linda!

Gaby Soncini disse...

Que lindo texto de verão, iluminado, cheio de sol!

Carmem agradeço o carinho e a preocupação, estava com os dias bem ocupados por isso não estava postando.

Um enorme beijo e abraço!

aluap Al disse...

Quanto vou à minha terra sinto o sol e calor de lá como purificador, parece que destila todos os males. Gosto do sol. Mas enquanto o sol do campo enche-me de força, o sol da praia cansa-me. Gosto muito de sol, mas nunca fui de estatelar-me na toalha a esturricar ao sol.
Beijos e passe uma boa semana.

Luis Filipe Gomes disse...

Não consigo estar exposto ao Sol e então na cabeça não aguento, tenho de usar chapéu. Mas levo uma vida ao ar livre apanho Sol no Inverno e pela Primavera perguntam-me se já fui à praia. Mais do que o Sol aprecio os dias longos que ele proporciona e tudo o que com a sua luz podemos fazer.

Arco-Íris de Frida disse...

Sol é vida... muda o humor das pessoas... mas nao se pode esquecer do filtro solar...

Beijos...

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo texto cheio de Sol apesar de eu já ter sido mais fã do Sol.
Um abraço e boa semana.

Catarina H. disse...

O sol (não em excesso) ajuda a energizar. Nós somos criaturas do sol, não nascemos para vivermos em buracos. É claro que não é para ficar a esturricar ao sol, como foi dito neste esclarecedor texto. Tem razão, quando diz que somos seres de extremos e excessos. Temos mesmo que encontrar um ponto de equilíbrio, pois é assim que somos mais felizes e saudáveis também. Gostei de saber algumas das informações científicas partilhadas aqui.
Beijinhos e boa semana!

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

O sol é maravilhoso,só temos que tomar cuidado,principalmente como eu que tem a pele clara.
Bjs Carmem e uma ótima semana.
Carmen Lúcia.

Vanuza Pantaleão disse...

Bem, não foi por acaso que os egípcios nomearam o sol como um deus e aí está a ciência reverenciado-o.
Adorei o tema e o texto!Bjssss

Jeanne Geyer disse...

excelente texto sol nos horários certos e sem protetor solar são saudáveis e importantes para a saúde. Bjs

Dilmar Gomes disse...

Pois é amiga Carmem, o problema é o exagero, aliás, como tudo na vida há de ser medido e ponderado para que não venhamos a sofrer as consequências dos excessos que praticamos aqui e acolá. Eu, particularmente, não gosto de sol forte, mas um sol ameno sobre um céu límpido é muito gostoso.
Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

GarçaReal disse...

O sol é essencial à vida, não só pelo bem que faz à saúde, mas também à alma.
É luz, aconchego e alegria.

Belissimo texto. Gostei imenso

Boa semana

Bjgrande do Lago

Ghost e Bindi disse...

Olá Carmem! Primeiramente, há que agradecer-lhe pelo carinho manifestado em nosso blog, onde nos deixou seus comentários cheios de discernimento e sensatez.
Depois, parabenizá-la por trazer este assunto (que apenas outro dia foi alvo de uma reportagem em emissora de televisão brasileira) em que se lança luzes sobre a demonização dos efeitos da luz solar.
Nossa vida moderna, que anda fugindo do equilíbrio ao buscar a satisfação pura e simples das vaidades e prazeres seja como for, pode nos levar a extremos, como vc mesma citou. Meus avós tomavam sol em sua rotina diária, e viveram muitos anos sem qualquer problema de pele, num tempo em que nem havia protetores solares, porque o faziam da maneira como a natureza o pede: não por excesso de vaidade nem exageros hipocondríacos, mas regulado pelo próprio bom senso de nosso corpo.
Um abraço com carinho.

Bíndi e Ghost

Jaime Portela disse...

Sol é vida.
Um magnífico post, muito esclarecedor.
Carmem, tenha uma boa semana.
Saudações poéticas de um "velho amigo".

Rosa disse...

Adoro o sol, mas não me dou muito bem com ele... Sempre me queimo, com a menor exposição possível, pois minha pele é muito branca... Mas aproveito dele na sombra, coloco um pedaço das pernas por um pouquinho de tempo, só prá sentir aquele calorzinho maravilhoso...Fala a verdade: tem coisa mais animadora que um dia que nasce ensolarado, um céu azul a perder de vista, luz e mais luz prá todo lado? Adoro.
Beijos, minha querida!

Guaraciaba Perides disse...

OI, Carmem, ótima postagem e bem interessante.Eu gosto de tudo um pouco, o sol[é precioso e necessário com o seu calor e o frio sem ser intenso traz
o aconchego necessário das coisas ternas, assim sou adepta fervorosa do outono e da primavera, onde a vida renasce e se equilibra ou vice-versa e é quando me sinto melhor.
Um abraço

O meu pensamento viaja disse...

Gostei muito do seu texto, da informação e da poesia!
Também eu amo o sol, mas sempre, sempre com moderação.
Bem bastou, adolescente tonta, usar e abusar! Os anos não trazem apenas reugas, não é?
beijinhos

Nadja disse...

Querida Carmem,

Gosto do sol mas não abuso.
Existe a crença que os negros não precisam se preocupar por conta do excesso de melanina, imagine!
Uso protetor diariamente.
Amei seu texto! Bastante oportuno.
Álvaro, meu netinho, mandou-lhe um beijinho.

Bjksss

MARILENE disse...

Você fez uma bela postagem. Os benefícios o sol são inegáveis, mas costumamos abusar quando nos expomos. Já o fiz, muito, quando jovem, sem atentar para os perigos. Hoje, preciso da vitamina D e, por ordem médica, devo aproveitar o sol em determinado horário, sem proteção. Desconhecia sua relação com esclerose múltipla.
Gosto muto do verão e do nosso amigo sol. Bjs.

VitorNani disse...

Oi, Carmem!
Que excelente post sobre a necessidade de tomar sol.
Aqui eu tomo sol o ano todo. Estamos no Inverno e mesmo com uma brisa muito fria, é gostoso sentar-se de costas para ele e ir tirando os agasalhos à medida que se aquece. É recomendação do meu médico. Minha esposa chama isso de "a hora da cebola", porque vamos nos descascando das roupas.
A sensação é mesmo como você diz: "despe-se da tristeza"!
Abraços!

Link Direto

Tais Luso disse...

Oi, Carmem, não gosto de torrar-me ao sol para mudar de cor, gosto é da alegria do sol, da vida e dos benefícios que encontramos nele. Preciso de sol entrando dentro de casa e colocando alegria em tudo. Você fez uma excelente matéria, abordou todos os pontos. Uma postagem de utilidade pública!

Um beijo, amiga.

EU disse...

Gostei imenso de ler o teu texto, não só pela informação nele contida. Sempre gostei de sol e é um facto que ele nos traz vida. Há cerca de dois anos atrás, quando resolvi ser seguida por um médico de medicina interna, foi logo uma das orientações que me deu: apanhar sol no corpo inteiro - para reforçar precisamente o sistema imunitário - por isso sorri ao ler a tua postagem.
Bjo, Carmen :)

Jossara Bes disse...

Oi Carmem!
Preciosos esclarecimentos!
Eu, amo verão e o sol em qualquer estação!
"Excesso" nunca faz bem, seja lá do que for!
Beijo carinhoso! Felicidades para você!
*** Por aqui estamos a pleno inverno, chuvisqueiro e frio!

ReltiH disse...

EL ES UN INSPIRADOR DE POESÍAS.
ABRAZOS

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, o protector solar impede que o corpo absorva a vitamina D que tantas falta faz para os osso do corpo humano, na minha vida nunca usei protector, apanhar sol moderadamente pela manhã só nos faz bem, é o faço quando caminho pela praia durante um hora e meia.
AG

Ana Freire disse...

Um post fabuloso, Carmem!
Pleno de informação útil, pertinente, e esclarecedora.
Eu confesso ser uma adoradora do Sol... preciso e gosto de sentir luz... no corpo... e na alma, principalmente.
Contudo... sem exageros... por ser mesmo branquinha, o protector solar, é obrigatório... com indíce bem alto, a perder de vista... evitando ao máximo, o escaldão inicial, da época de Verão, junto à praia.
Beijinhos
Ana

Magia da Inês disse...

❤ه° ·.
Gosto muito de sol e amei a reportagem.
Bom restinho de semana!
Beijinhos.
⋰˚هჱ

Ingrid disse...

Olá.
Obrigada pela visita!
texto primoroso.
O Sol é vida! Amo!
beijo.

MARIPA disse...


Boa noite, Carmem!

Gosto de sol, de me despir de tristeza e de aprender consigo, sempre, alguma coisa que não sei. Bem haja por partilhar o seu saber e de me dar a conhecer o de outros.
Sou antiga, do tempo em que rareavam os cremes... o sol e o mar eram os meus bálsamos preferidos. Por vezes exagerava, mas não chegava a esturricar :).

Beijinho amigo, querida.

Manuel disse...

Sábios e oportunos conselhos.
Todos os cuidados são necessários e toda a atenção é necessária.
Eu, em regra, não abuso mas, por vezes, esqueço um p+rotector nos lábios e depois é uma desgraça.
Mas vou aprendendo.
Um abraço

Benó disse...

Ola, Carmen. Os seus conselhos são ótimos nunca é demais lê-los. No enranto, ainda há muita gente que se dirige para a praia na hora que devia regressar.E depois aparecem os problemas. Gosto de sol com conta, peso e medida mas não me ponho deitada ao sol , gosto dele quando me passeio no areal ao fim da tarde ou nas caminhadas matinais. O sol é calor, amor, inspiração.

Brisa disse...

O sol dá brilho e aquece a alma...
Que texto interessante...

Bj

cris braghetto disse...

Olá, Carmem.
Adorei a forma como você definiu o verão.
Confesso que sou apaixonada pela luz do sol, pelo calor do verão, mas com certeza, o excesso é um perigo.
Agradeço por compartilhar as excelentes dicas.
Grande abraço e ótimo verão.

Luma Rosa disse...

Oi, Carmem!
A última descoberta da ciência diz que devemos tomar sol no horário de pico se quisermos ter vitamina D entre 10 a 20 minutos.
Leia a matéria
O sol estimula o nosso cérebro, a vida fica mais leve e solta. É tudo mais alegre. Eu amo!!
:)
Beijus,

Graça Pires disse...

Bom dia Camem! Este texto além de conter informações muito úteis e que nos fazem pensar é quase uma "ode" ao sol. Gostei muito de ler.
Um beijo.

Fê blue bird disse...

Há pouco tempo o meu marido retirou um sinal na pele suspeito, felizmente ainda foi a tempo. O sol faz bem mas devemos como bem disse saber utilizá-lo.
Também tenho um autoimune e sei como o sol é benéfico.

Um beijinho e bom fim de semana

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

No início havia o sol
e havia a vida...
O cuidado com o sol
é também uma forma de respeitá-lo.
Sábias suas palavras...

Sua vida é preciosa para mim...

Pedro Luso disse...

Carmem, passo por aqui para desejar a você um bom final de semana.
Abraço.

redonda disse...

Gostei do texto e gosto do sol, e de apanhar sol, mas não em excesso.
um beijinho e uma boa semana
Gábi

Moacir Willmondes disse...

Postagem iluminada, Carmem, com direito a reflexão, orientação e até dicas...

Ótima quarta-feira para você!

Nadja disse...

Querida Carmem,

Passei para dizer que acabei de publicar um post onde faço uma singela homenagem a Portugal e às amigas portuguesas, pessoas simpáticas que visitam o meu espaço.
Quando puder, passe lá!

Lindo dia!

Bjksss