19/09/15

A irrealidade da verdade

https://pixabay.com

De repente não há o certo
nem se conhece o errado.
Nada faz sentido,
é ser o que não se foi
sem ser o que se quer ser.
É ir porque já lá está
o que não era para estar, mas aconteceu.
A vida julgou que se abria
e no rodopio da dança, em pleno êxtase, pereceu.
O anjo despiu as asas,
por entre o breu caminhou errante e
travou com o torpe
quando o perjúrio das profundezas ordenou
e se fez verdade.
O sol ignorou a luz e se fez nublado.
E até o mar bradou-lhe e
eriçou-se em labaredas contra o cepticismo.
O demónio quedou-se em pranto
nauseado pelo vento fétido da incongruência,
mas a estupidez era já irrevogável.

 

7 comentários:

Manuel Luis disse...

Não é fácil comentar para não acertar nem errar.
Abraço

Maria Eu disse...

Há coisas que vão demasiado longe para se poderem emendar!

Beijos, Carmem. :)

Ana Freire disse...

Às vezes a vida, tem fases assim... como na fotografia... em que se perde o ponto de focagem... toldando-nos a visão... e impedindo-nos de ver, o que queremos e desejamos ver...
Mas o real... será sempre para nós, a forma como nós vemos as coisas... pelo seu lado melhor... e só isso deve bastar-nos...
O irreal... é a vida... são os outros... as circunstâncias...
A realidade... sempre será algo muito nosso... vista por nós... e construída ao nosso jeito... em cada dia...
A mentira... até pode ter consequências reais... mas quando a sabemos, e sentimos como irreal... que na verdade é... só a verdade, nos chega e nos basta...
A estupidez, maldade ou invenções alheias... sempre existirão à nossa volta... constituindo uma realidade... que terá a força, apenas que lhes entendermos dar... a realidade é como a vemos, não como nos vêem...
Bjs
Ana

Ivone disse...

Não se sabe mesmo o que é certo ou errado, depende tudo do resultado, mas nem o que é bom ou ruim se pode saber, enfim... O jeito é viver!
Abraços linda amiga!

Odete Ferreira disse...

Não há verdades absolutas e tudo depende da perspectiva, das circunstâncias e da visão pessoal. Por isso devemos ter a virtude da tolerância, sem que este facto nos impeça de defender aquilo em que acreditamos.
Mas a comum estupidez deve ser sempre combatida!
Gostei imenso, Carmen. Bjo :)

MARILENE disse...

Sempre acreditei que a verdade existe para ser questionada. Assim se descobre novos caminhos. Mas as nossas verdades o são, com propriedade e fundamento pessoais, por vezes inabaláveis. E as abraçamos com garra, para que não sejam destruídas/denegridas por olhos traiçoeiros. Bjs.

✿ chica disse...

Circunstâncias da vida que por vezes nos fazem assim pensar.Linda poesia! bjs, chica