17/07/16

A arte a pintar vidas




Joan Punyet Miró  neto de Miró, doou 28 obras do pintor para serem leiloadas, a fim de serem angariados fundos para ajuda dos refugiados que têm chegado à Europa.

O neto de Miró diz ser "o executante da sua vontade" e estar a fazer o que o próprio avô teria feito - apenas isso. E por quê?
Porque "se fosse vivo, consideraria que o que hoje se passa na Síria poderia acontecer amanhã em Espanha" - em alusão à Guerra Civil Espanhola na década de 30.

O lucro obtido no leilão é para ser gerido pela Cruz Vermelha.

Um gesto de quem teria tudo para se fechar em seu mundo de fartura de cor e de conforto, evadindo-se da realidade pintada em tons de crueldade, do lado de lá de seu portão.
Ninguém lhe iria cobrar uma atitude, sequer.
Mas a sua consciência chamava-o a intervir num drama que é de todos.
Como tão bem disse John Donne (poeta inglês):

“Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo;
todo homem é um pedaço do continente, uma parte da terra firme.
Se um torrão de terra for levado pelo mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse o solar dos teus amigos ou o teu próprio;
a morte de qualquer homem me diminui,
porque sou parte do gênero humano,
e por isso não me perguntes por quem os sinos dobram;
eles dobram por ti.”


E, o neto de Miró sabia-se numa posição privilegiada que permitia que fizesse a diferença, a chamar a atenção para o apocalipse que se abate sobre esta gente que é parte de nós.

O problema que se põe é que a ajuda financeira, ainda que boa, é uma migalha para os cerca de 4,8 milhões de refugiados, desde o início desta crise e, que só neste ano de 2016, já vai em mais de 146.000 entre refugiados e migrantes chegados a este continente.

Precisa-se de mais "Joan Punyet Mirós" a se darem a esta causa.


 Leia mais aqui:







21 comentários:

Ivone disse...

Verdade linda amiga Carmem, se todos que poderiam ajudar e nem sempre se espera isso deles, o fizessem, quem sabe poderia mudar o triste quadro!
Concordo plenamente em que somos todos um e um em todos, pois de todas as formas nos tocam as dores que se vê e que acontecem sem que possamos entender, nem tudo se pode entender!
Amei ler por aqui como sempre, nos dá essa chance de podermos refletir, vamos indo, torcendo para que se possa ver um dia a paz, o fim do triste conflito!
Abraços apertados!

Nadja disse...

Olá querida Carmem!

Meu netinho está bem, obrigada!
Cada dia mais "danado", viu? E lindo também!
Menina, considero esse ato generoso do neto de Miró, Joan Punyet Miró, como sendo algo mais lindo do que todas as 28 obras do seu avô que serão doadas.
Ah, se o mundo fosse tão generoso assim, não é? Deus o abençoe!

Boa semana!

Bjks

Bia Hain disse...

Olá, Carmem! Está entre os temas que mais gosto de ler e conhecer, histórias de solidadriedade! Que lindo gesto do neto, mostra que sua educação supera a herança financeira. Consciência e atitude são suas maiores riquezas!
Tenho o maior prazer em ajudar quando e como posso. Minhas contribuições para instituições - inclusive para a Cruz Vermelha, que faz um trabalho belíssimo - é bem mais modesto do que o que o a obra certamente alcançou, mas creio que se cada um abrisse mão de um pouquinho para si para doar para o outro, muitos seriam ajudados.
Nunca sabemos quando estaremos do lado de lá.
Abraços!

Arco-Íris de Frida disse...

Por quem os sinos dobram... assisti ao filme... otimo filme...

O mundo precisa de mais pessoas com esse tipo de açao... aos poucos quem sabe, essa conscientizaçao se torne universal...

Beijos, Carmem...

Gracita disse...

Pode até ser um grão ante a necessidade mas o valor do gesto é imensurável
Tomara que a sua atitude conquiste outros adeptos em prol de todos os que sofrem as mazelas desta guerra
Venho agradecer o carinho e deixar um afetuoso abraço
Vou dar uma pausa nos blogs para curtir o recesso escolar
Volto em breve! Até a volta!
Beijokas doces no coração

Jossara Bes disse...

Oi Carmem,
Graças a Deus, existem pessoas que doam e se doam com o objetivo único de ajudar. Quem dera gestos assim iluminem outras pessoas e uma forte corrente humana tome conta do planeta.
Beijo carinhoso, feliz semana!

Graça Pires disse...

Olá Carmem! Que post cheio de sensibilidade! Realmente há pessoas assim que desejam fazer parte da solução dos problemas com a sua generosidade e a sua solidariedade. John Donne diz bem: "nenhum homem é uma ilha" e Joan Punyet Miró entendeu isso de uma forma fantástica.
Um beijo.

graça Alves disse...

Belo gesto!
No mundo há homens bons e homens maus...se colocássemos uns e outros nos pratos de uma balança, qual dos lados pesaria mais?
Obrigada pela partilha.
beijinhos

Maria Gloria D'Amico disse...

Que tempos são estes que estamos vivendo, a cada dia uma ocorrência envolvendo pessoas, famílias, crianças, idosos.
Temos que acreditar que tempos melhores virão e, tens razão, Carmem, mais pessoas com um coração tão comprometido com o Amor, são necessárias para o planeta.
Um post muito sensível, Carmem.
Um beijinho querida e ótima semana.

Mariangela do lago vieira disse...

Oi Carmem, boa tare!
Que belo post!
um coração assim, bondoso, é a verdadeira riqueza que se pode almejar!
Ainda bem, graças à Deus existe ainda pessoas tão generosas!
Lindo!
Mariangela

JANE GATTI disse...

Ações como essa fazem com que ainda acreditemos na Humanidade... A mídia nos apresenta apenas o lado mais obscuro do homem: a violência, a ganância... Mas é preciso divulgar essas ações que nos enchem de esperança. Beijos.

heretico disse...

boas causas. aqui...

texto inteligente e sensível.
gostei de ler

beijo

Regina Magnabosco disse...

Bonito gesto o do neto de Miró. Belo texto, Carmem.

Ana Freire disse...

Um gesto admirável... que contrasta com a vergonhosa indiferença... com que o problema tem sido encarado pela UE...
Como sempre, um assunto super actual e pertinente, por aqui... para despertar consciências...
Adorei o post, Carmem!
Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
Ana

lenalima disse...

LIndo gesto,o mundo seria melhor com mais pessoas seguindo esse gesto.
Mas a maioria só pensa em grana.

bj

Maria Gloria D'Amico disse...

Carmen, olá!
Deixo um beijinho e o desejo de um final de semana excelente!

Clau disse...

Olá Carmem,
Que alma nobre tem esse Joan Punyet Mirós...
e pelo jeito esse coração sensível às dores
alheias vem de família.
Esse leilão foi um sucesso e isso é ótimo!
Quem dera tivesse mais atitudes assim.
Beijos!

Tais Luso disse...

Que gesto espetacular do neto de Miró!!
Essas são as grandes almas...
beijinho!

Parapeito disse...

são pessoas assim que o mundo precisa .
Um gesto cheio de humanidade...que tem tao grande valor.
Gostei desta partilha.
Abraço e brisas doces *

Suzete Brainer disse...

Querida Carmen,

Um texto com gesto de grandeza humana, que ecoa
com o poema (Jonh Donne) esta nossa irmandade
da mesma raça humana a cada vez mais a ficar
extinta, a se esmagar na individualidade doentia
do Ego que quase sempre regido pela vaidade que cega:
"A morte de qualquer homem me diminui,
porque sou parte do gênero humano"
Belíssimo!!

Grata pela preciosa e luminosa partilha e
da grandeza da sua alma na escolha.
Um domingo feliz e solar (quente por aí...),
com este brilho da sua alma!
Beijo.

Patricia Merella disse...

Um gesto de amor! As vezes me pergunto que mundo vou deixar para meu filho e netos.Beijinhos