30/07/14

Há vidas assim


Há vidas que seguem numa linha recta, desde seu início até ao fim. 
E não é por ansiarem a monotonia. Nem por serem vidas estagnadas. Mas sim, porque basicamente, conseguem ser vidas dentro do que se espera que seja a normalidade duma vida, para além do nascer, crescer, multiplicar-se e morrer.
São vidas que correm bem, que fluem com naturalidade, são como um rio manso na primavera. São poucas, essas, mas as há.

Há vidas que fazem algumas curvas, não se limitam à normalidade rectilínea das primeiras. 
Essas já provocam alguns percalços aos que as vivem, mas nada que não se possa controlar, desde que se esteja atento ao percurso.
Há até os aficionados do género, que consideram imprescindível essa sinuosidade para que a vida seja estimulante, encarando as superações de cada curva orgulhosamente, como se de uma prova se tratasse. Encontrando aí, a fundamental razão de viver.

E há aquelas vidas que parecem ter verdadeira aversão à linha rectilínea. Seguem em curvas e contra-curvas, e ainda  arriscam, pelo meio, por subidas íngremes, que nem louco alpinista para depois, sem aviso prévio, descer a pique por encostas tortuosas. Vidas duras.
Quem as vive traz sempre joelhos e mãos em sangue, corações destroçados, cabeças torturadas, almas estropiadas.
As superações não trazem a glória ansiada pelos aventureiros, mas sim, mais peso às próprias costas, pois que outros não o podem carregar.
São vidas que não aceitam desvios nem inversão de marcha. Vidas desgraçadas, em que o riso é raro, em que a paz escasseia. O descontrole da alma aumenta na proporção directa em relação ao tamanho de cada curva percorrida.
Nem todos alcançam o fim do caminho previsto, sucumbem antes, por fraqueza do corpo ou da alma.
Outros anseiam pelo fim, acreditando aí, ir encontrar o descanso.
E há os poucos, discípulos de Zenão, que avançam estoicamente, a fim de chegar com honra ao fim de sua linha da vida. São heróis sem rosto, de quem ninguém sabe, de quem ninguém fala.



31 comentários:

Vall Nunnes disse...

Boa tarde Carmem, linhas e filosofia para dizer que cada um vive as belezas e discuidos da vida na sua singularidade.
Texto lindo,linguagem objetivo mesmo dentro de um contexto poético tracejado pela vida.
Até logo moça!

wcastanheira disse...

Como sempre muiiito bom, acho q minha vida tem feito algumas curvinhas, quem sb alguns retornos, mas de um modo geral, avança, segue em frete, belo contexto de vida dentro de um explicação, pra vc beijinhos e beijinhossssssssssss

Ives disse...

Os grandes heróis são anônimos! abração

Graça Pires disse...

A vida é uma viagem e nem sempre todos podem escolher os caminhos que desejam... O texto faz-nos refectir sobre a irreversibilidade dos caminhos que escolhemos. Gostei muito.
Beijo.

Clau disse...

Olá Carmem,
São raras as vidas que andam em curva reta, a maioria delas percorrem curvas sinuosas,
atravessam caminhos íngremes.
Porém, o mais importante é não desistir, mesmo sentindo desânimo no corpo e na alma.
Achei o texto muito interessante. Uma boa reflexão...
Beijos!

Marcos disse...

Cada uno escoge su propio destino, el problema es que de los valientes ya se ha escrito demasiado.

Ivone disse...

Carmem, amei ler seu texto bem escrito, seguir em linha reta sem sentido nem sempre é bom, pode até ser mais seguro, mas viver é quase que uma incógnita, há que se arriscar, mas também é preciso ter pelo menos um pouquinho de sabedoria!
Agradeço o seu carinho lá no meu espaço, que bom, fiquei feliz por isso!
Abraços apertados!

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Um texto que adorei ler e gostei muito de passar aqui. Estou seguindo e voltarei mais vezes.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Um texto que adorei ler e gostei muito de passar aqui. Estou seguindo e voltarei mais vezes.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Mariazita disse...

Olá, Carmem
Se, por um lado, há vidas todas "direitinhas" - sem que com isso se possam considerar monótonas - outras há que são um verdadeiro carrocel.
Não sei se é por opção ou porque a própria vida se encarrega de nos traçar o caminho... mas há pessoas que não têm mesmo escolha.
Gostei muito do texto, leva-nos a pensar na forma como vivemos.

Beijinhos, amiga.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
Nem tudo que luzo é luz, esta é verdade, há vidas que fazem percurso em linha recta, aparentemente sem problemas, no fundo são uns infelizes que desconhecem o sinonimo da felicidade, outras vidas com muitas curvas que são ultrapassadas uma após outra, conseguem ser felizes apesar das dificuldades, podia dar-lhe exemplos, mencionando nomes dos infelizes que caminham em linha recta.
Dia feliz
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

heretico disse...

uma feliz descoberta este espaço.

gostei do texto.

cumprimentos

Ani Braga disse...

Lindo texto Carmen
Um belo final de semana pra você.

Beijos
Ani

Amara Mourige disse...

Olá Carmem, belíssimo seu texto!
"Se hoje encontramos no nosso caminho pedras e espinhos, é porque houve um tempo em que nos descuidamos do nosso jardim."
Bjs
Amara

Dorli disse...

Oi Carmem,
A minha vida sempre foi um desafio sem fim, não gosto de monotonia e sempre trabalhar no mesmo lugar.
Hoje aposentada, tenho duas carteiras profissionais lotadas.kkk e sempre com muito sucesso, muita saúde e nenhuma falta.
Agora acho que estou perto d'uma reta final, mas quando eu morrer não quero ninguém chorando e sim dizendo: Essa soube viver: amou. viajou, trabalhou, bailou....etc
Beijos no coração
Lua Singular

lis disse...

Oi Carmem
Gostei do texto e da sua visita.
São vários os caminhos e saber percorre-los depende de unicamente de cada um.
Desejo uma boa semana e fico aqui dando uma espiadinha no blog e no que voce tem trazido para os amigos
um abraço

Web Rádio Épocas disse...

Ola Carmem,

Parabéns pelo blog, lindos textos...sucesso !

Abraço

Dilmar Gomes disse...

Bom o teu ensaio, Carmem.
Agradeço aqui tua visita ao meu modesto espaço. Tenhas uma linda semana.

Jussara Neves Rezende disse...

Carmem, minha vida já foi cheia de curvas tortuosas, sem setas nos caminhos. Hoje, graças a Deus, é um estrada sem grandes sobressaltos, uma ou outra curva apenas para não entediar... rs
Muito bom seu texto. Gostei tb de tê-la no minasdemim. E fiquei tb por aqui.
Abraço, linda semana!

Luma Rosa disse...

Oi, Carmem!
"Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos. Ele respondeu:
A Política, sem princípios;
O Prazer, sem compromisso;
A Riqueza, sem trabalho;
A Sabedoria, sem caráter;
Os negócios,sem moral;
A Ciência, sem humanidade;
A Oração, sem caridade"
(Irmãs Franciscanas Aparecida)
Esses equívocos são as curvas que damos na vida. O caminho para a felicidade não é reto. O herói é o ser honesto e pode morrer sem ter sido feliz, porém com uma leveza na alma que garantirá que plaine pelo universo ao encontro de outros átomos para unir sua essência.
Beijus,

Calu B. disse...

Bom dia, xará,
nos múltiplos desenhos traçados ou não, voluntários ou acidentais,os diferentes trajetos se delineiam nos passos comandantes e comandados pela longa( e que assim seja)estrada da vida.

Um abração,
Calu

Pérola disse...

Às vezes gostava que a minha vida tivesse sido recta, a morar sempre no mesmo sitio, a fazer o que a sociedade considera suposto. Mas, arranjo sempre curvas e contracurvas para me desequilibrar, cair e sair esfolada.

Que raio de vida, a minha!

Beijinhos e obrigado pela reflexão.

Marisa Giglio disse...

Carmem , seu texto é o espelho dos caminhos que tomamos para nossa vida .
Há que se fazer uma escolha e nosso livre arbítrio existe para tal mister . Como já dizia Ortega & Gasset : " Eu sou eu e minha circunstância e se não a salvo , não me salvo eu ."
Foi muito boa a partilha .
Obrigada .
Beijos

SOL da Esteva disse...

Aquele que procura a rectidão, por mais curvas que faça, sempre acerta a sua linha da Vida.
Que mais se deve buscar? "Curvas e contracurvas" são parte da evolução e da aprendizagem.
Gostei muito do teu texto para minha meditação.


Beijos


SOL

Ani Braga disse...

Passando pra desejar uma semana maravilhosa...

Beijos
Ani

Manuel disse...

Zenão era um mestre dos paradoxos e a linha que construímos, na nossa vida, pode ser um.
Nem sempre as mais rectas são as mais lineares,de vez em quando, uma ligeira curva pode acertar o que estava a desviar o caminho.
Belo texto.
Um abraço

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Passando para agradecer a visita carinhosa e deixar um beijinho.

Sonhadora

© Piedade Araújo Sol disse...

um texto lúcido e bonito que nos obriga a uma profunda reflexão.

obrigada!

:)

EU disse...

Não acredito em vidas rectilíneas, pois a própria vida pespega curvas e contra curvas. Contudo acredito que haja muitas pessoas (incluo-me neste tipo)que procurem desafios, superações porque é de sua natureza.
Quanto à última "tipologia" há mesmo pessoas inconformadas e, de facto, nunca saberão qual será o seu epílogo. Admiro-as!
Relevo, do texto, a última frase.
Gostei imenso deste texto/reflexão.
Bjo, Carmen :)

Dorli disse...

Oi Carmem, eu já estava com uma postagem pronta para me despedir de vocês e, agora vem você e revira meus neurônios.
Agora nem sei o que faço. Me dê uma luz, ainda estou deprimida pelas maldades humanas que me fizeram.
Beijos
Lua Singular

Vera Lúcia disse...


Olá Carmem,

Que bela prosa poética!
Muitas vezes podemos escolher a trajetória de nossa caminhada, conforme nossos sonhos e aspirações. Contudo,conforme muito bem destacado por você, para certas pessoas parece não haver escolha e elas seguem por estradas mais tortuosas, mas com muita valentia. Acredito que se trata de pessoas mais compromissadas com Deus e que se esforçam para carregar a sua cruz com coragem e sem lamentações. Sim, são heróis, pois não fogem às batalhas.

Parabéns! Amei ler.

Obrigada por sua amável visita e comentário. Entrei nesta postagem porque já estive na atual.

Beijo.