18/04/15

Uma forma de amar


Peguei em mim,
Doei-me a ti inteira,
Rasguei-me em pedaços,
Aconcheguei-te as dores
Que acolhi no regaço.
Tirei lascas
De mim própria
Para compor teus remendos.
Neguei minhas dores
Para manter-me sóbria
E lutar contra dragões.
No caos de mim mesma,
Resgatei-te do abismo
E, ao erguer-te aos céus,
Tremeu-me a terra aos pés,
Em violento sismo.
Padeci.
Fui errante.
Quis morrer.
Morri
Por ter feito da tua,
A minha vida.
Por ter, em teu respirar,
O meu fôlego.
Por teus sonhos
Terem sido meus desejos
E querer que tuas vitórias
Sorrissem em mim
Com os quentes sabores
Da conquista.


45 comentários:

Maria Eu disse...

Belíssimo, Carmem!

Beijo. :)

Elvira Carvalho disse...

Um belo poema.
Um abraço e bom fim de semana

Araan disse...

belíssimo poema, Carmem
beijos.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, neste seu belo poema que revela o seu bom sentimento, a frase,"Para compor teus remédios,neguei as minha dores" mexeu comigo, todo o poema é belo, mas a frase entrou em mim como uma seta sem dó nem piedade.
AG

Gracita disse...

Uma belíssima expressão poética
Intenso e profundos estes versos
Tenha um domingo feliz
Beijos

Eliete disse...

Só quem é capaz de sentir-se é capaz de fazer poemas. Lindo!

Andrea Liette disse...

A natureza da paixão ! Antes morrer de amor que viver sem conhecê-lo. Belo poema, Carmem. Beijo.

Jossara Bes disse...

Lindo demais!
Entrega total ao sentimento!
Feliz semana!
Beijo carinhoso!

MARIPA disse...


As sementes de uma entrega total, germinando em cada verso de um poema de amor, belíssimo!

Beijinho amigo, Carmem.

P' disse...

Que lindo :)

Guaraciaba Perides disse...

Oi, Carmem...belo poema do Amor incondicional.
Um abraço

Vera Lúcia disse...


Olá Carmem,

Uma forma de amar de total entrega tende a ser insatisfatória. Quem renuncia a si próprio por um amor acaba por se anular e sofrer.

Uma questão muito bem versada. Lindo o poema.

Feliz semana.

Beijo.

Elisabete disse...

Que grande entrega e paixão pelo ser amado!
Lindo poema.
Boa semana, Carmem.

Calu B. disse...

Declaração pungente jorrada em versos, Carmen.
Uma entrega tão profunda anula o ser.Bom é quando a partilha se faz gêmea.

Uma boa semana.
Bjos,
Calu

Boop disse...

E no fim o que resta do "Eu"?
Disseste-o bem
"morri"



Magia da Inês disse...

シ Lírico!!!

Ótima semana!
Beijinhos.
♬♪ه° ·.

P' disse...

Obrigada pelo comentário querida Carmen e deixe que lhe diga que acho muito mais sensato comentar um outro post em que realmente se saiba o que dizer do que comentar algo que pode nem ter muito a ver com o que se acabou de ler porque simplesmente não há palavras na altura para nos fazermos explicar, por isso lhe agradeço esse bom senso de optar por comentar o texto sobre a minha avó que dizer algo apenas «por dizer» num outro post onde não saberia bem que palavras proferir. Desejo-lhe uma bonita semana cheia de felicidade *

Silenciosamente ouvindo... disse...

É sempre muito bom ler
poesia. E eu gostei muito de
ler este poema.
Desejo que a amiga se encontre bem.
Bj.
Irene Alves

Maria Rodrigues disse...

Um amor intenso e sem limites.
Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria

Fê blue bird disse...

Uma entrega assim total deixa sempre em nós um vazio.
Belo e intenso este seu poema minha amiga.
beijinho e boa semana

Helena Chiarello disse...

"Uma forma de amar" fascinante!
Poesia!
Que blog lindo, Carmem!
Beijos e obrigada pelo carinho lá nos meus cantinhos!

Zilani Célia disse...

OI CARMEM!
SIM, UMA FORMA DE AMAR, EMBORA, NUNCA ANULAR-SE EM DETRIMENTO DE OUTREM, OU CORRE-SE O RISCO DE NÃO NOS RECONHECERMOS MAIS EM NOSSA INDIVIDUALIDADE.
SOUBESTE COLOCAR UMA SITUAÇÃO CONTROVERSA COM UMA BELEZA TAL, QUE ENCANTA E SE SOBREPÕE AO CONTESTO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema de paixão e amor!

bonito!

boa semana.

beijo

:)

Patricia Merella disse...

Olá Carmem
A melhor forma de amar e amar a si primeiro. Lindo o poema!
Amo flores e plantas quando postarem teu jardim aqui avisa-mes?
Beijinhos

SOL da Esteva disse...

Amar tem sempre uma parcela de dor pelo que doamos de nós. Mas o Amor é assim: dá-se sem a espera da retribuição em igual medida.
Amor é. simplesmente... Amor.
Lindo, Cármen.


Beijos


SOL

EU disse...

A entrega plena poderá ser acompanhada de alguma dor se esta não for totalmente correspondida. Mas só depois é que se sabe, não é verdade? Que fazer? Quando se ama, é mesmo assim...
Gostei imenso do poema, Carmen.
BJO :)

Luma Rosa disse...

Oi, Carmem!
Um poema que expressa o sentimento de entregar-se ao outro por inteiro. Uma doação que torna-se cada vez mais rara.
Boa semana!
Beijus,

Lilly Silva disse...

Que poema lindo Carmem!!! Eu adorei! Esse é o amor que se entrega por inteiro e que consegue ver no outro a sua própria alegria refletida!

Beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

heretico disse...

envolvente poema!

em sabor(es) quente(s) e macio(s).

beijo

MARILENE disse...

A entrega é bela quando há correspondência, mas não existem sonhos idênticos, por mais que seja grande o amor. Podemos caminhar juntos, mas vez ou outra seguiremos jornadas distintas, nesse campo. Abraçar as expectativas do outro, cuidar de suas feridas sem lavar as próprias, oferecer o ombro sem nunca ter onde descansar o seu... não é compensador. Belo poema. Bjs.

Pedro Luso disse...

Olá, Carmem!
O seu poema, "Uma forma de amar", fala de um amor pungente; é um poema tocante. Parabéns.
Abraços.

Laura Santos disse...

Belíssimo poema, Carmen!
Amar pode ser esse rasgar do nosso ser, pode até morrer-se de amor, mas no renascimento teremos de inventar outra forma de amar que não nos prive tanto de nós. O amor tem de ser um caminho de ida e volta.
xx

Regina Magnabosco disse...

Você conseguiu uma proeza, Carmen: definir em palavras a entrega do amor e o que é inerente a ela.

Diana Fonseca disse...

Fantástico, maravilhoso!

Lilá(s) disse...

Intenso e profundo! belo!
Bjs

Ana Freire disse...

Lindíssimo o poema, Carmem!...
Adorei as palavras... "Tirei lascas de mim mesma, para compor teus remendos..." Que melhor forma de definir o amor como uma entrega total e sem reservas, apesar de todos os riscos de desilusões ou fracassos?...
Mas só assim se compreende, e tem sentido, tal sentimento...
E uma imagem brilhantemente escolhida a acompanhar...
Mais um post absolutamente adorável, Carmem!
Beijinhos
Ana

Graça Pires disse...

A entrega total. O amor absoluto com que se brinda à primavera...
Belo poema. Beijo.

Rita Freitas disse...

Há muito amor assim, que se anula a si próprio para dar ao outro.
Mas quem pode amar verdadeiramente alguém se primeiro não se ama?
Gostei muito.

Beijinhos

Anne Lieri disse...

Um blog lindo, com poesias muito sensiveis e delicadas! Adorei! bjs,

ReltiH disse...

UN TEXTO LINDO, BRILLANTE.
ABRAZOS

Sueli disse...

Puxa! Essa era eu!!!! Que lindo!

O meu pensamento viaja disse...

Mas que amor foi / é esse!!!!
Total, absoluto, eterno!
Ainda há amores assim!!!!
Parabéns pelas palavras com que o tece!
Grande beijinho da Nina

Ghost e Bindi disse...

"É servir a quem vence, o vencedor"...assim há amores, como o de seu belíssimo poema, que tudo entregam ao outro, até a vida...entregam tanto, que nada fica para si, e perecem no fogo mesmo deste amor ardoroso.
É difícil de achar um amor assim, épico, heroico...mas esta inspiração nos eleva a alma em meio às pequenas emoções do nosso cotidiano...
Um grande abraço, e um feliz domingo, Carmem!

Bíndi e Ghost

Pedrasnuas disse...

Sorriso!

Bj

Vanessa Palombo disse...

Senti a intensidade em cada palavra...

Obrigada pela visita

Abçs