18/03/16

Ela existe


O dia 20 de Março deste ano vai ser no próximo Domingo.

Para quem não sabe ou não se lembra: foi o dia escolhido pela ONU para chamar a atenção para a natural aspiração dos seres humanos à felicidade.

Passou a ser celebrada desde 2013 - ainda muito recente, portanto - depois da proposta aprovada, por unanimidade por todos os estados-membros da ONU que reconheceram que a felicidade das pessoas deve ser um dos objectivos a atingir pela política de todos os governos.

Não espera a ONU que se espalhem cartazes alusivos à boa-disposição espampanante e decorados por sorrisos fáceis, nem que se ergam as taças e se façam brindes à alegria de selfies.
Penso que não.
Mas espera consciência para que, quando da adopção de diversas medidas político-sócio-económicas,  se procure um desenvolvimento sustentável e maior equilíbrio da sociedade.
Estamos bem longe disso, mas é um dos meios para fomentar esse pensamento. Tenhamos fé.


O mais curioso é que o assinalar da data nasceu da sugestão de um pequeno país chamado Butão, país de que pouca gente tem conhecimento.
É um pequeno reino que fica bem perto do céu, nos Himalaias, entre a China e a Índia.
Maioritariamente budista e tendo como segunda religião o Hinduísmo, tudo doutrinas com filosofias de vida muito diferentes das dos ocidentais.

Esse pequeno país, que ultrapassou a sua origem um tanto atribulada, que tem uma economia - baseada na agricultura de subsistência e pouco mais - que é considerada das menos desenvolvidas no mundo, é tido como o país da felicidade.

E seu povo considera a felicidade a maior prioridade desde que, na década de 1970, subiu ao trono um jovem de 18 anos que proclamou que a Felicidade Interna Bruta ( FIB ) teria mais importância do que o Produto Interno Bruto ( PIB ).
Isto porque, segundo o jovem rei, o objectivo da vida não deveria ser limitado a produzir, consumir e produzir mais.
Não. Defendia que as necessidades humanas vão muito mais além do que bens materiais.
O rei sonhou.

Não será uma sociedade perfeita, mas, talvez por estarem envolvidos pela exuberância natural que sabem proteger e ali, tão próximos do céu, facto é que o povo afirma que é feliz.


Algumas curiosidades  aqui


https://pixabay.com

57 comentários:

Vera Lúcia disse...


Olá Carmem,

Tenho certeza de que já li algo a respeito, mas não me lembrava. Inveja do Butão, pois está difícil, nos tempos atuais, encontrar um país cujo povo se considera feliz. Apesar dos estados-membros da ONU 'reconhecerem' que a felicidade deve ser meta a ser atingida pela política e pelos governos, tal não ocorre na prática. No momento, por exemplo, estou altamente frustrada e desolada com os rumos da política brasileira. País parado, muita corrupção, desemprego aos montes; saúde e educação decepcionante; enfim, desequilíbrio total. Seria perfeito se objetivo inspirado pela data fosse levado a sério. Observa-se que a data sequer é propagada. Pelo menos, no dia 20 de março, é também aniversário do meu marido, assim, pelo menos, tenho um motivo palpável para celebração-rsrs.
Vamos torcer para que a iniciativa produza frutos, ainda que a longo prazo. Enquanto isto não ocorre, fica a possibilidade de mudar-se para o Butão-rs.

Beijo.

Elvira Carvalho disse...

Eu acredito que a felicidade é um estado de alma. Não depende dos outros mas de nós próprios. Por isso apesar de todas as provações porque já passei das frustrações e das doenças eu considero-me uma mulher feliz. O problema da infelicidade das pessoas é que elas fazem sempre depender a felicidade de algo ou alguém. Se eu acreditasse que a minha felicidade seria ser rica, ia ser infeliz a vida inteira.
Um abraço e bom fim de semana

✿ chica disse...

Carmen, eu sabia sobre Butão e a felicidade por lá! Ela existe e pode existir em qualquer lugar que tenha respeito pelo povo, segurança, educação, prioridades básicas. Mesmo assim, temos que te um cantinho nosso, no coração onde ela possa habitar! bjs, lindo fim de semana,chica

Diana Fonseca disse...

E que sejamos sempre felizes!!!

Marta Moura disse...

Interessantíssimo este post!

Emília Pinto disse...

Ha dias assim, em que nos apetece deixar o politicamente correto e gritar bem alto as nossas desilusões, principalmente no que respeita à insanidade humana por aqui e por esse mundo afora. Devemos gritar, sim, mesmo que saibamos que ninguém nos ouve. Pelo menos, ficamos de alma leve e com uma sensação de serenidade. ! Serenidade essa que nos proporcionará um momento feliz É isso que penso, amiga, não há felicidade, mas sim momentos felizes que devemos procurar no nosso dia a dia, Já conhecia essa característica do Butão e achei- surpreendente.Pensar no bem estar do povo é uma característica de muito poucos e, creio que esse bem estar se consegue proporcionando a esse povo qualidade de vida, nao deixando que lhes falte os recursos à saúde e educação. Em geral pensam que o povo precisa de carrões, mansões e outros exageros e esquecem da alegria, de boas condições de trabalho e de acesso fácil aos cuidados de saúde. É tăo pouco o que precisamos para que nos sintamos bem! Alguém dizia que é precio só o suficiente. Beijinhos, Carmen e um bom fim de semana
Emilia

mfc disse...

Há gente que dá valor ao que é realmente importante.
Beijos

lenalima disse...

Com todo essa desarmonia no nosso país , gostaria de viver eu Butão....a felicidade do povo só depende dos governantes! bj

São disse...

O Butão nos dá um magnífico exemplo, sem dúvida.

Pena que não seja seguido e que cada vez mais nós , pessoas, sejamos um mero número nas preocupações de quem detém o Poder...

Bom fim de semana :)

Olinda Melo disse...


Olá, querida Carmem

Muito Feliz fiquei por ter abordado este tema que considero de suma importância. É um dos princípios fundamentais da República e bom seria que os governantes se lembrassem de que uma das suas funções é trabalhar para a Felicidade e bem-estar do povo.

Como bem refere, no Butão houve a consciência disso e o PIB é baseado na grau de felicidade alcançado. Achei isto tão extraordinário que em tempos abordei essa ideia lá no Xaile.

E se o conceito de Felicidade muda conforme o interesse e a maneira de ser de cada um, o importante é que tenhamos sempre motivos para sorrir, tratemos uns aos outros com urbanidade e não nos falte o essencial para uma existência digna.

Adorei ter vindo hoje a este Lado do Sol. Tão Bom!

Bj

Olinda

Giga disse...

Now I would like to be in Bhutan to get away from the current problems in my country. Certainly, I would be happy there. Regards.

Andreia Morais disse...

Devemos lutar sempre pela nossa felicidade!

r: Verdade.

Lucy Mara Mansanaris disse...

Boa noite Carmem.
Já havia visto algumas coisas sobre Butão, poucas. Amo o Budismo e foi ele mesmo que me apresentou o pouco que já havia lido.
Porém, desconhecia completamente a data de "aspiração à felicidade" achei linda e de suma importância.
Acredito que a felicidade é a visão consciente. Quando aprendemos a enxergar as coisas e devotar a elas o seu devido lugar e valor, tudo fica mais leve, a gratidão passa a ser mestra... Para mim, esta é a base da felicidade.
Adoro suas postagens, obrigada pela partilha e doce visita.
Meu carinho.

ReltiH disse...

MUCHAS GRACIAS POR COMPARTIR TAN INTERESANTE TEXTO.
ABRAZOS

Tais Luso disse...

Oi, Carmem, eu sabia um pouco sobre o Butão, mas não tudo que está no link, fantástico. Alcançaram essa espiritualidade graças ao Budismo, uma filosofia de vida perfeita. Vivem meio isolados, sem cobiçar nossas coisas "sagradas", como carros, mansões, luxo, luxo. O Dia Internacional da Felicidade... jamais alcançaremos, não sou pessimista, mas não chego a esse otimismo exagerado de que um dia o ocidente será muito feliz. Nossa cultura não permite... Acredito em momentos de felicidade. É triste esse mundo que só visa lucro e consumismo.
Só somos felizes se consumirmos tudo que nos oferecem como top. Compramos um Smarth, e 6 meses depois o negócio fica obsoleto; temos mais coisas para consumirmos. A nossa espiritualidade é meio capenga, bonito dizer que fulana é muito espiritualizada... Vá la ver, a mulher está mergulhada (rss)- em sonhos - na última novidade oferecida em Smartphone.
Ótimo tua postagem, teu texto! Dia 20 vou lembrar do Dia Internacional da Felicidade!
Beijo!

Gracita disse...

Oi Carmen
Se a felicidade de um povo estiver associada à políticas públicas então é sabido que o povo jamais experimentará este estado de leveza
Mas acredito que a felicidade de cada um de nós estará pautada na dignidade, no respeito ao semelhante. E a felicidade individual construída nestes parâmetros poderá abranger a grande massa tornando-se coletiva
Um ótimo final de semana
Beijos

GarçaReal disse...


A realidade é que a felicidade acarreta paz, amor e tranquilidade, coisas que infelizmente o nosso mundo actual é pouco conhecedor, pois os interesses económicos e a ganância monetária destroem estes bens espirituais e fundamentais na vida de um país e de um povo.

Muito bom este post.

Bom fim de semana amiga

Bjgrande do Lago

Ivone disse...

Amiga Carmem, sempre um prazer ler aqui, a felicidade é vinculada a todos os prazeres da alma/corpo saudável, pois quando o corpo se encontra bem, a alma se sente leve e a sensação é muito boa, de equilíbrio.
Butão, país onde não há grandes diferenças entre as pessoas, a beleza do lugar, a justiça e preocupação de quem governa, com o bem estar. Isso é sabedoria, pois a vida tem limites e fortunas imensas só servem para alimentar egos!
Manter um lugar com a Felicidade Interna Bruta é um sonho, ainda bem que se pode saber que é realizável, pelo menos em um pequeno lugar perto do céu!
Amei ler e aprender!
Abraços bem apertados!

Lilazdavioleta disse...

Claro que a felicidade é um estado de alma e que está em nós . . . mas se vivermos rodeados de pessoas que nem tempo têm para pensar em felicidade , mas sim em que comer , como tratar problemas de saúde , onde dormir , e umas coisitas mais , a nossa felicidade não poderá ser plena . . .


Um beijo , Carmem ,
Maria

Ana Freire disse...

Já tinha conhecimento sobre esse reino... e provavelmente também nós teríamos todas as condições... para sermos felizes assim...
Também a Islãndia... ocupa um fantástico terceiro lugar, em termos da lista dos países mais felizes do mundo... e por qualquer razão... nunca se fala deste país, que ultrapassou uma bancarrota, há bem pouco tempo... e sobre o qual a UE... não se pronuncia nunca...
Uma pena que tudo menos a felicidade, seja levado em conta, por quem nos governa... em Bruxelas... sim, porque este país já há muito perdeu a sua verdadeira autonomia... mas a Islândia... recuperou-a! Acho isso absolutamente admirável!!!
Como sempre um post, formidável, por aqui, Carmem, com um tema ultra pertinente, para reflectirmos!... Muitos parabéns, por mais um excelente trabalho, por aqui!
Beijinhos! Bom fim de semana!
Ana

Malu Silva disse...

Olha, amiga, o país deveria estar feliz tamanho o espetáculo circense que temos no Brasil, mas lógico que essa FELICIDADE, essa ALEGRIA não seria a ALEGRIA ideal...
estamos longe de sermos felizes frente à tamanhas barbaridades.
Se fosse relatar meus problemas por conta de precisar das políticas públicas de saúde deste meu Brasil diria que a FELICIDADE está anos LUZ daqui!

Maria Luisa Adães disse...

Acredito na felicidade de um povo, que não precisa
de muita coisa e se sente bem!

Amei o seu comentário ao "Poema Abandonado"
e é tão verdadeiro que nada mais posso dizer
e nada mais tenho a acrescentar.

É a realidade que ninguém gosta de ler
ou ouvir dizer, ou ver e tentar perceber
quanto essa verdade magoa, mata e trai!

Três formas de morrer - muito novo, bastante novo, ou velho!

Ninguém pode fugir a um destino talhado ao nascer
e no entanto o amor vai desaparecendo para o velho
e se ele estiver lúcido, sofre horrores.

Cada dia a passar, eu sinto mais essa triste verdade
e me interrogo -como vou morrer?

Falam de felicidade,
mas onde está a felicidade?

O Homem é mau por natureza, muito mau
e de um mundo assim, que se espera? Nada!
E a tal felicidade onde está? Não sei!

Só porque as pessoas se querem enganar
e não lhes interessa olhar, eu vou escrever
o que ninguém gosta de ler!

Sei que é sensível, extremamente sensível,
porque me entendeu... e quem não gosta do que escrevo,
não me escreva, nunca mais me escreva e vou perdendo amigos...
E fico feliz comigo, porque sei a razão pela qual, eles fogem de mim!

Agradeço, profundamente, o que me escreveu e nunca esqueça
o que eu escrevi!

Com ternura e amizade, não digo adeus,

Maria Luísa

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Lugares assim
nos convidam
a um retorno
ao melhor do amor e da simplicidade
que nos possam habitar...

Um imenso abraço.

Ana Tapadas disse...

Vi um documentário a propósito e o teu post está muito interessante!

Beijinho

Cristina Pavani disse...

Olá, Carmem!
Já ouvi sobre o tema, porém nem imaginava que fosse amanhã. aqui no Brasil não podemos comemorar ainda... Fiquemos com o domingo de ramos que já dá.

Beijos procê

Arco-Íris de Frida disse...

A felicidade é particular e individual,é um estado de espirito,acredito que esta mais ligada ao modo como vivemos nossa vida...
Mas o Butao nos da um belo exemplo de como os governantes podem ajudar o povo a serem mais felizes...

Beijos, Carmem...

Laura Santos disse...

Podendo satisfazer as necessidades básicas, um mundo carregado de exigências de materialismo excessivo só faz com que a ambição humana por adquirir mais bens materiais o torne mais infeliz, mesmo que por vezes parecendo feliz. O homem torna-se escravo de um tipo de vida que o conduz talvez a muito bem estar exterior e a um vazio interior. A grande diferença entre o Ser e o Ter. Por isso o povo do Butão, e outros povos e etnias são mais felizes no desprendimento da vida simples que levam, do que a maior parte das pessoas nas grandes selvas de pedra onde o consumismo e o egoísmo abundam.
Um belo tema, Carmem.
xx

Maria Luisa Adães disse...

Enviei um comentário e me parece que se perdeu.

Em relação ao que escreveu no poema os "7degraus" "Abandonado"
Eu sei que me compreendeu pela sua sensibilidade!

Neste momento, as crianças e os velhos se têm tratado de forma criminosa e isso nos mostra que o Homem é mau por natureza.

E as pessoas por aqui, não amam esta espécie de poema e eu sei!

Falam de felicidade e levam o sexo ao máximo, como se faz no mundo real!

Se mata com naturalidade, incluindo as crianças e os velhos e as redes sociais deviam lutar e dar força a este tipo de poema ou prosa.
Não o fazem e eu venho agradecer o seu comentário brilhante, acerca do assunto.

Com amizade, lhe desejo felicidades neste mundo em que o amor se esconde
por detrás das cortinas!

Maria Luísa

Helena disse...

Uma postagem excelente! É bom tomar conhecimento de que pelo menos um país no mundo tem toda a sua população num extremo estado de felicidade. Raríssimo, e por isto mesmo, causa tanta admiração!
Segui o link que indicaste e já me encantei com a foto das duas crianças butanesas, de sorriso lindo, cativante, contagiante, nos rostinhos onde se vê flagrado um momento de grande felicidade.
Tempos atrás o Globo Repórter fez uma reportagem nesse país dos deuses, e já nos deixou encantados com as paisagens e modo de vida dos butaneses. Tanta coisa ali para se aprender!
Infelizmente, querida amiga, em contraste a tanta felicidade, estamos mergulhados na tristeza de morar num país tão desassistido pelas autoridades, vivendo um momento de grande vergonha perante o mundo todo, e também tomando conhecimento da tragédia que assola a Europa com a situação dos refugiados.
Consola saber que existe um povo que está livre das mazelas criadas pelos (des)governos e que vê no sorriso do semelhante a razão da sua própria felicidade.
Uma bela postagem, sem nenhuma dúvida, a colocar um pouquinho de alegria no coração de todos nós que, mesmo que tenhamos motivos pessoais de estar felízes, vemos essa felicidade embaçada pelo sofrimento de irmãos que, além de desassistidos pela sorte, também o são da parte dos governantes.
Meu carinho numa estrela e no desejo de uma semana de paz e luz,
Helena

Suzete Brainer disse...

Olá Carmem,

A felicidade é um estado interior, o sentir por dentro sobre
o mundo e o estar nele, os conflitos derivam destes desajustes
do que se é de verdade e do que se quer Ser e quando se que
aparentar, as coisas pioram mais ainda.
Acredito que o caminho do autoconhecimento e autenticidade
levam próximos da felicidade, No Budismo tem a base do
desapego e até o sofrimento é combatido com a alegria,
a insatisfação é considerada a semente da infelicidade.
Apreciei muito a sua partilha generosa!!
Grata pela suas visitas e preciosos comentários!
Uma semana alto astral para você...
Beijo.

Graça Pires disse...

Todos procuramos a Felicidade. Penso que existem momentos bons que devemos segurar com o coração.
O seu texto é para pensar. Obrigada.
Beijo.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, a felicidade é relativa, penso que quanto mais conhecimento tem o homem, mais é a sua exigência para se sentir feliz, Portugal entre todos os países do mundo, está classificado no 103 lugar no que diz respeito à felicidade do povo, votos ara que o povo Butão seja ainda mais feliz.
AG

Pedro Luso disse...

Carmem,
Uma iniciativa como essa, querendo espalhar para o resto do mundo que se deve ter um índice de felicidade só poderia ter sugido no Butão, que, como você diz "É um pequeno reino que fica bem perto do céu, nos Himalaias, entre a China e a Índia". E mais ainda: é um país budista, e que tem como segunda religião o Hinduísmo.
Faço votos que se concretize esse sonho.
Abraços.

deep disse...

Existe, pelo menos, em pequenas doses que nos são administradas aos poucos!

Feliz Primavera, Carmen.:)

Odete Ferreira disse...

Muito bom teres chamado à colação esta temática. Quando li sobre o assunto, achei extremamente curioso, pela novidade (geralmente só entram itens materialistas para medir seja o que for...) mas, sobretudo, porque havia um país que se focava nas pessoas, na sua essência.
Bjo, querida amiga. :)

Zilani Célia disse...

OI CARMEM!
EU JÁ HAVIA LIDO ALGO SOBRE O BUTÃO E TE DIGO AMIGA QUE ESTAMOS LONGE DE CHEGAR A ESTE ESTADO, POIS UM PAÍS COMO O BRASIL, CUJOS GOVERNANTES NÃO SE PREOCUPAM COM UM POVO QUE PASSA QUATRO MESES DO ANO TRABALHANDO PARA PAGAR IMPOSTOS E OS QUAIS "ELES" NÃO APLICAM PARA O BEM ESTAR DE QUEM OS PAGA E SIM PARA SEUS "DESVIOS" QUE ALUCINADAMENTE PROMOVEM.
UMA PENA POIS, UM POVO FELIZ GERA ENERGIA DO BEM, QUE CHEGARIA PARA TODOS.
UM ÓTIMO POST.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Jussara Neves Rezende disse...

Não conhecia essa proposta da ONU, Carmem. Sobre o Butão já assisti a um documentário... estou numa cruzada pessoal pelo desprendimento e pela valorização do simples, do menor consumo, da felicidade pela companhia de quem amo... não é tão fácil como pode parecer, mas acho que é um caminho... especialmente num mundo que busca justamente o contrário. Por isso a proposta da ONU me surpreendeu e me tocou como uma lufada de vento numa tarde quente demais.
Abraço!

Lucinha disse...

Carmem,

Sabia um pouco da história de Butão, portanto, não com os detalhes que você nos trouxe.
Uma verdadeira aula.
O Rei sonhou, e acredito que o ser humano possa viver com pouco, e feliz na simplicidade.
Parabéns pelo lindo post!
Obrigada pelo seu carinhoso e animador comentário em meu jardim.
Abraços

Lucinha disse...

Carmem,

Esqueci de dizer que, amei o seu blog.
Senti algo muito bom, ao entrar aqui.
Abraços

Bergilde disse...

A felicidade pode ser uma pausa na inquietação da vida e geralmente é mais percebida em culturas onde predomina o valor às relações interpessoais e familiares,às coisas mais simples ,menos complicadas, ao contato com a natureza e inclusive podem alcançar até maior longevidade.Bom pra gente também rever as nossas prioridades de vida e o que realmente nos rende mais felizes! Beijos e Feliz Páscoa pra ti aí junto aos teus!

Marineide Dan Ribeiro disse...

As pessoas se perderam no consumismo amiga! Ninguém consegue ser feliz numa sociedade tão consumista.
De uns 20 anos para cá resolvi me espiritualizar. Estudo profundamente os textos sagrados e procuro colocar em prática tudo o que aprendo. Para mim, primeiro vem o "ser" depois o "ter". Sou feliz assim...


Bjussssss

João Menéres disse...

Sabia do BUTÃO...mas não tanto como fiquei agora a saber.

Um beijo grato.

Helena Chiarello disse...

Que bacana! Havia lido alguma coisa sobre isso mas confesso que não lembrava!!
Super postagem e super exemplo a ser seguido!!
Bjo grande!!

MARILENE disse...

Carmem, o dia 20 já passou e sequer vi menção ao assunto. Há pouco tempo foi exibida na tv uma reportagem sobre Butão, o que, creio eu, provocou reflexões em muitas pessoas. O desenvolvimento do lado espiritual facilita a harmonia. Na maior parte do mundo, o "ter" passou a valer mais que o "ser", fomentando uma busca incansável pelo poder. Gostaria de acreditar que poderíamos comemorar a felicidade, no patamar indicado. Todos querem ser felizes mas as expectativas são muito altas e desmedida a ambição, o que não propicia se chegue a ela, em termos de sociedade. Bjs.

✿ chica disse...

Cármen, voltei pra agradecer teu carinho e tudo está andando bem.Claro que nem sempre é "domingo" ,quando se trata de quimioterapias ou uma doenaç dessas, mas vamos andando bem com KIKO!

FELIZ PÁSCOA! bjs, tudo de bom,chica

Arroz Di Leite disse...

Olpa Carmem,
passei para conhecer seu blog, aproveito e fico por aqui com você.
Que a alegria da ressurreição de Cristo esteja em seu coração
hoje e sempre. Feliz Pascoa.
Bjs

Tânia Camargo

Ghost e Bindi disse...

Acho que existe, sim, uma tremenda confusão entre ter e ser. Entre progresso e civilização. Pois foi justamente um pequeno país onde a tecnologia de ponta não está em cada esquina, onde as pessoas não se falam apenas através de seus celulares, onde carros do ano e casas apetrechadas com utensílios caros não são as aspirações de cada um, que teve a coragem de proclamar, via seu comandante maior, que a riqueza material não é a principal aspiração do país. Onde não se passará por cima dos valores éticos e morais para que o PIB cresça a cada ano, onde não se ensinará às crianças, desde a mais tenra idade, que aquele que não faz sucesso e/ou que não tem dinheiro, não tem valor, e por isso elas devem estudar para adquirirem recursos financeiros que as destaquem, e não para desenvolverem em si as aptidões humanas que as tornarão seres melhores.
Tenho visto que as pessoas realmente felizes são as que nadam contra a corrente, e têm a coragem de desafiar, serenamente e sem agressões a quem quer que seja, o estado das coisas e virar as costas a tudo que não as faça crescer para serem gente de verdade, e não apenas androides programados para vencer na vida a qualquer preço - inclusive o preço de sua humanidade e, por conseguinte, sua felicidade.
Querida Carmem, que a Páscoa se dê em sua alma, com a alegria e a certeza de que nada neste mundo pode alterar a paz que você conquistou...um abraço com carinho!

Bíndi e Ghost

manuela barroso disse...

Ola Carmen,
...eu já aqui passei para dizer algo. Adiei porque merecia muito mais .hoje volto a adiar. O que por aqui se vê tem que ser saboreado.
e hoje digo que volto. Agora quero desejar uma Feliz, Santa Páscoa. Cheia de PAZ. E um grande abraço de muita admiração!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Votos de Pascoa feliz,
AG

José María Souza Costa disse...

Olá, Carmem

Te desejo uma Páscoa com Alegrias
Feliz tudo
Abraços

Gracita disse...

Querida Carmen
Que esta seja uma época de paz, amor, esperança, e que a comemoração de tão significativa data aconteça junto daqueles que você mais ama. Que a sua casa, sua família e seus corações se encham de alegria, o paladar dos mais doces sabores, e a vida das mais extremas felicidades! Feliz Páscoa para você e os seus
Beijos

manuela barroso disse...

E no tempo que me foi certo , aqui estou a saborear esta data que , falando de Felicidade, tem que ainda andar por aqui , ali, algures, mas que tantos procuram e não encontram julgando tratar -se de algo tão raro quando pode estar tão pertinho de nós!
Ser feliz- estar feliz. Dois tempos , duas medidas, dois momentos . Depende do que entendem por Felicidade. Tudo é tão fugidio, tudo tão efêmero , tudo muito vago . Não o estado de espírito que tentamos vestir cada dia mesmo que a cor não seja a que apetece. E se a cor for a que mais está de acordo com os que nos cercam , aí o íman cola- se ao coração e daqui ao pensamento para fazer estrada no seio da comunidade
Felicidade Interna Bruta. Força Butão.
Muitos parabéns Carmen -Sol! :)

Ailime disse...

Amiga,
Grata por todo o seu carinho.
Desejo-lhe e a sua Família uma santa e feliz Páscoa.
Beijinhos,
Ailime

Brisa Petala disse...

BOA NOITE CARMEM
Que o coelhinho lhe traga muito mais que simples ovos de chocolate...
Que ele lhe traga: Muita saúde, amor, felicidade,compreensão, carinho...
Que vc e sua família sejam abençoados por AQUELE que nos deu a vida!!
Muito amor, carinho, PAZ e chocolates pra vc!!

Maria Rodrigues disse...

Um post muito interessante.
Para mim a felicidades encontra-se tantas vezes nas "pequenas - grandes" coisas da nossa vida.Fico feliz ao observar uma flor, ao ver o sorriso dos meus filhos, ao sentir a brisa do vento ou cheiro a terra molhada...são momentos especiais, simples mas que tocam o meu coração.
Desejo-lhe uma Páscoa muito Feliz.
Beijinhos
Maria

Lune Fragmentos da noite com flores disse...


É verdade! Eu sabia. E acho delicioso dedicar-se um dia à Felicidade que é um bem precioso em cada um de nós.
Mas que só o poderemos encontrar no modo como olhamos a vida.

Portugal é um dos países onde a felicidade está mais ausente, segundo um estudo. E isso diz muito de nós... ou do país.

Tibete! Uma das minhas referências, numa visão espiritualista.

Apreciei muito esta postagem.

Venho retribuir a afectuosa amizade que dedicas ao que vou escrevendo em 'fragmentos'

Que a Páscoa tenha sido um Feliz momento para ti, junto de teus familiares.

Um beijo,

Diana Machado disse...

Muito obrigada pelo vídeo que me mandaste, e pelo comentário que me deixaste, tenho muito carinho porque quem se preocupa assim e escreve do coração :)
Um beijinho enorme para ti