28/03/16

A louca




https://pixabay.com



Ela ainda procura um não sei o quê na diferença.
Busca por aquele que sem ser se afigura…
Conta que conheceu o amor na malquerença,
que no rosto do anjo avistou o breu,
diz que do abismo resgatou a cura.
Crê que existe, algures, num recanto,
vestida de penumbra, a alvura que lhe fugiu.
Assevera que a carência alimenta mutantes
e segreda-me que alberga demónios.
Assegura que toda a vida
dura o tempo dum instante.
Ergue preces às entranhas do céu,
ainda chora pelo anjo que partiu





46 comentários:

Ivone disse...

Lindíssimos versos, a imagem é de uma beleza incrível, os artistas vêm além, muito além mesmo!
Seus versos inspirados nos dá a dimensão do que somos enquanto presos em nossos corpos. A alma fala, se expressa, mas nem sempre se sabe o quê?!
Amei ler amiga Carmem, tens uma sensibilidade ímpar!
Abraços bem apertados!

✿ chica disse...

Intensos sentimentos, bela inspiração e poesia!" Linda semana pra ti,Carmen! bjs, chica

Graça Pires disse...

Um poema muito belo!
"diz que do abismo resgatou a cura"... A loucura da lucidez... Gostei imenso.
Um beijo.

Diana Fonseca disse...

A falta que algo que gostamos nos faz.

Simone Felic disse...

Versos enigmaticos, com frescor de alma e
sofrimento do personagem.
beijinhos

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Andreia Morais disse...

Gostei do poema!

r: Muito obrigada *.*
Uma ótima semana também para si

Guaraciaba Perides disse...

Um ser humano e suas contradições em todas as etapas da vida...lindo poema e verdadeiro.
Um abraço

Cristina Pavani disse...

Que magnífico!
E as entranhas do céu comportam toda nossa louca, pois ser sã é uma doideira pesada demais...

© Piedade Araújo Sol disse...

achei este poema muito lúcido e muito belo.
eu diria
a louca lúcida
belo momento de poesia
grata pela visita ao meu espaço fotográfico.
boa semana.
beijo

:)

Marisa Giglio disse...

Carmem , sua sensibilidade à flor da pele só poderia nos ofertar poema tão belo . A loucura habitante de todos nós se faz presente liricamente . Parabéns . Beijos e boa semana .

A Casa Madeira disse...

Oi Carmem belo!
Na loucura vê-se muita lucidez...
Votos atrasados de uma feliz páscoa e que
a paz e harmonia possam estar presentes nessa semana que se inicia.
Abraços janicce.

Ana Tapadas disse...

Belíssimo poema!
(Quero ser a louca...).

Beijinho meu.

Benó disse...

"Toda a vida dura o tempo dum instante" Todos nós carregamos um pouco de loucura. Que seria a vida sem ela? Muito belo o seu poema. Aproveito para desejar uma ótima semana.

Vera Lúcia disse...


Olá Carmem,

O poema é magistral, traduzindo uma loucura inerente à toda lucidez humana.
Uma construção poética bem interessante. Aliás, vi muita coerência nesta versada loucura.
Grande sensatez resgatar a cura do abismo. Não é assim que sempre acontece? É do fundo do poço que se começa o processo de retorno à luta e à vida.

Feliz semana.

Beijo.

Nadja disse...

Lindo poema, Carmem!
O que é a loucura senão a transparência daquilo que a maioria não vê?

Linda semana!

Bjks

Boop disse...

E ficamos suspensos na corda bamba.
Que loucura será essa que chegamos a invejar?
A possibilidade da transmutancia, de encontrar sentidos nos dissabores. De encontrar esperança onde não à há.
Obrigada! Por nós desinstalares! ;)

rosa-branca disse...

A loucura de uma lucidez constante. Adorei o poema. Beijos com carinho

mz disse...

É uma espécie de fé.
Adorei.

Bjs

Pedro Luso disse...

Carmem,
Gostei muito de “A louca”, seu belo poema.
Uma boa semana.
Abraços.

Anajá Schmitz disse...

Belíssimo. Assim é o amor, um pouco loucura junto com um pouco de lucidez.
Bjos tenha uma ótima semana.

José María Souza Costa disse...

Olá, Carmem

entendi, como um poema que vai construindo pontes, e segue...

Miss Smile disse...

E a poesia, para ser poesia, tem de ser uma loucura lúcida.
Muito profundo e filosófico este seu belo poema, Carmem.
Foi um prazer.

Um beijinho

Mariangela do lago vieira disse...

Oi Carmem que poema lindo e verdadeiro!
Caimos, levantamos, e assim seguimos na vida...
De louco... todos temos um pouco!
Beijos, uma abençoada semana!
Mariangela

Odete Ferreira disse...

Há tanto neste poema, amiga!
A procura incessante do intangível e a paz que só se encontra no interior sensível. Nos entretantos, vive-se a loucura da vida, caindo e erguendo-se.
Muito belo e profundo!
Bjo, amiga :)

Isa Sá disse...

Muito bonito!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um poema que muito me impressionou.
Gostei imenso, querida amiga.
Bjs. e desejo que se encontre bem
Irene Alves

MARILENE disse...

Que ricos versos, Carmem! É a loucura que abre portas, muitas vezes, pois não comporta temor e alimenta as crenças com fervor. Sua "louca" tem bastante lucidez. Seu poema, profundidade. Gostei muito. Bjs.

Maria Luisa Adães disse...

"Assegura que toda a vida termina num instante"...

E eu acredito nela
e acredito em mim
e ninguém mais acredita

E vivo esperando conhecer
tanta coisa que desconheço...

Mas quem é assim
É louca, como ela!

Seu poema é muito belo
sabe que escreve muito bem?

Verdade
vive muito longe de mim?
Gostava de a conhecer...

Escrevi nos "7degraus"
o agradecer de suas palavras ao meu poema!


Maria Luísa





O meu pensamento viaja disse...

Ela ( a louca) "procura", "busca", "conta", "diz", "crê", "assevera", "segreda(-me)", "assegura", "ergue (preces)", e , por fim, "chora".Só pode ser/ estar louca! Como explicar, de outro modo, essa assertividade, esse peito aberto, exposto, sem defesa?
Só pode ser mulher!
Só pode estar/ ser louca!

Gostei tanto!
Obrigada.

Clau disse...

Olá Carmen :)
A loucura mostra o
que muitas vezes tentamos esconder.
Muito bom e profundo o poema...
Bjs!

Mar Arável disse...

Gosto de viajar nas suas palavras

Jaime Portela disse...

Já não sei o que é loucura.
E quem não tiver algo de louco, acho que morre a cada dia que passa.
Um excelente poema. Para pensar, também...
Um bom fim de semana, querida amiga Carmem.
Beijo.

Marta Vinhais disse...

A busca da esperança, do amor... A entrada e a saída de labirintos onde se escreve a vida....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Andreia Morais disse...

r: Muito obrigada :D

Marineide Dan Ribeiro disse...

Estes versos são os mais puros relatos de carência...
Carência afetiva, carência de tudo um pouco...

Um ótimo fim de semana!

Lilazdavioleta disse...

Belíssimo este poema .

Um abraço , Carmem ,
Maria

Laura Santos disse...

São por vezes as grandes loucuras, os grandes desvarios, os grandes abismos, que trazem à superfície o que somos. Nas quedas somos forçados à lucidez ou à desistência, mas continuaremos eventualmente, a chorar por algo que se foi.
Ai de que nunca ousou a loucura!
Um poema profundo e muito bem construído. Gostei muito.
xx

Ana Freire disse...

Um poema muito belo e tocante, Carmem!
De uma lucidez incrível!...
A genialidade e a loucura, sempre andaram de mãos dadas... as loucuras sempre nos trazem, grandes descobertas e lições... e por vezes, acontece ser mesmo necessário descer ao abismo... para resgatar a cura...
Chorar é o preço que pagamos por aquilo que achamos que a vida nos tirou cedo demais... apenas nos esquecemos... que tudo o que temos, nos é emprestado, por uma força maior...
Adorei! Beijinhos! boa semana!
Ana

Ghost e Bindi disse...

Boa noite querida Carmem!
Você descreveu com maestria o coração louco. Há muitos tipos de loucura...a loucura do medo de amar, a loucura do apego às formas, a loucura da vaidade sem peias...
Mas a mais dolorosa das loucuras é a de quem se perdeu de si mesmo de tanta dor, deixando ir-se pouco a pouco com que se foi e não volta mais...
Um grande abraço!
Bíndi e Ghost

manuela barroso disse...

Só uma lucidez incrível, traz tanta beleza a esta loucura!
As antíteses alimentam o pensamento da alvura dos loucos.
Grande momento, Carmen
Beijinho!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa dia, o abismo resgatou a cura para a realidade, poema belo e perfeito na mensagem.
AG

Malu Silva disse...

Gostei de tudo. Agora estou seguindo este espaço e indicando no link.blog.br
Beijinhos!

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Poema de grande lucidez numa aparente loucura.
Todos temos um pouco dela.
Amei.

Beijo
SOL

Emília Pinto disse...

Mas que lindo poema, carmem! Um poema que retrata a vida nos momentos de loucura que a todos nós ela dá, Somos tantas vezes loucos, e tantas outras, não o sendo , nos achamos em perfeita loucura. Amamos, somos amados, sofremos e fazemos sofrer; caimos e muitas vezes somos incapazes de nos levantar sem que alguém nos dê a mão; chamamos por esse alguem, mas nem sempre vem; achamo-nos loucos quando chegamos á conclusão de que sabiamos que não adiantaria esperar, que iso era uma esperanca vā, de que ele não viria. Pura loucura! Mas há tantas loucuras, amiga!!! E nao será a própria vida a maior delas? Loucuras que nos levam ao paraíso de tão boas, outras que nos carregam às " profundezas do inferno " de tão doídas.
Mas esta tua, amiga, levou-me por uns instantes ao céu. Parabéns e obrigada pelo belo momento. Bom fim de semana, um beijinho
Emilia

Catarina H. disse...

Será louca ou apenas humana?
Sem calcar sentimentos, apenas sentindo, vivendo.
Porque viver custa. E também dói.
As palavras são intensas e entram de um modo tal, que só quando nos identificamos com elas é que entram.
Vamos dar tempo ao tempo :)
Beijinhos e um bom domingo :*

Patricia Merella disse...

Olá Carmem. ..tão eu este poema. Estas buscas nos levam à caminhos fantástico! Um feliz Domingo, beijinhos