27/11/14

Sem limites

«Uma sociedade só é democrática quando ninguém for tão rico que possa comprar alguém e ninguém seja tão pobre que tenha de se vender a alguém»
Rousseau



Considero-me uma néscia, uma tacanha de raciocínio.
Já se enrolam os pensamentos, cada um a albergar uma descabida teoria acerca da Psicologia Humana. Mas não! Não entendo. Simplesmente, eu não entendo. Não há maneira de eu conseguir entender essa tal alta corrupção de que toda gente fala, que é notícia em todos os noticiários e jornais.
Porque esta não é uma corrupção qualquer, como aquelas a que já nos habituaram os que fazem política e negócios da alta esfera, que, a bem da verdade se diga, acabam por ser os mesmos.
Esta é uma corrupção dum nível tal, que, se de um terramoto se tratasse seria qualificado de magnitude 8,0 na escala de Richter. Pensando bem, trata-se, verdadeiramente, de um terramoto sócio-económico contra uma sociedade, onde todos! andamos aqui com as vidas de pernas para o ar, à conta de semelhante descalabro que sobre nós se abate. 

Pessoas com tanto poder, com uma tal riqueza, que levariam uma vida inteira na mais imensurável abastança ... e não lhes basta.
Precisam de mais. Anseiam, qual Ícaro, por alcançar o céu. E ganham asas. E já no céu, insatisfeitos ainda, querem ir além, alcançar outras galáxias, porque o mundo é quase nada, de tão pequeno para sua magnificência.
Essas pessoas, homens e mulheres, não têm noção dos limites.
Não sabem parar.
Julgam-se deuses.
Avançam, qual manada de elefantes desenfreada, cegos por sua ambição desmedida, não vendo mais nada à frente, para além do objectivo pessoal. E urdem uma tal intrincada trama que torna impossível achar-se-lhe ponta.
Assim, eu, cidadã que prefere o pé no chão,  não consigo vislumbrar qualquer lógica nesta prática.






12 comentários:

Van disse...

Carmem, eu também não compreendo tais ações que tornam o mundo tão pior do que ele poderia ser.

Encontrar por aqui espaço tão reverente à poesia e aos grandes poetas é um enorme prazer.

Grande abraço!

Ivone disse...

Amiga Carmem, difícil entender né mesmo?
Também fico me perguntando, porque quanto mais essas criaturas têm mais precisam, ambição desmedida, a mim parece que é um vício, sim, eles são viciados como todos os dependentes de uma droga!
Amiga, isso deve estar acontecendo já faz muito tempo, eles nem imaginavam que seriam pegos!
Enfim...
Abraços amiga querida!

Bárbara disse...

Oi querida Carmem,
Desde que o mundo é mundo a desigualdade social é acirrada. A casta come iguarias nos restaurantes que nem imaginamos ser por dentro, enquanto o que sobra do dia de comida fresca não podem dar aos pobres, são jogados em caçambas que esparramam nos lixões da vida e os famintos vão dividir seu sustento com os urubus. Há aí a discrepância social mundial em todos os países.
Espero que um dia tudo isso vá para os ares e tudo terminará e só Ele conseguirá isso.
Tenho nojo de política e do sistema da maioria dos países do mundo.
Mas as andorinhas tem fome e precisam se calar, do contrário morrem e não veem seus filhos crescerem.
Abç
Bárbara

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Lindo texto amiga Carmen.
Adorei.
Bjs e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

heretico disse...



... e no entanto a voragem tem sua lógica - alimenta-se de si própria (se paras, morres).

excelente texto.

beijo

Marisa Giglio disse...

Sua escrita é impecável , Carnem ! Neste texto revela bem a condição humana . Beijos

José María Souza Costa disse...

Olá, Carmen
Bom tudo.

Vim, desejar-te, um fim de semana, bem bom.
Muita Paz. Desejos de alegria. Certeza sim, que independente da tua religiosidade, o Criador, está sempre de plantão, olhando por mim e por ti, e nos convidando, a refletir sempre, que o melhor do mundo, somos nós, os seres humanos. Por isso, somos humanos e, criados, à sua semelhança.
Dito isto, te convido a vim " cumê' um "manuê" cá no meu blogue.
Um abraço.

Manuel disse...

É dificil sintetizar melhor os terramotos, que todos os dias, nos fazem estremecer!
Falta saber o que ainda nos espera.

Espero que todos os que vão sendo noticias não chegem ao Céu, pois quem sabe quem eles iam comprar!

Graça Pires disse...

Isto não é para entender, Carmen...Mas podemos indignar-nos...
Um beijo.

Arco-Íris de Frida disse...

Mas assim é a sociedade ... sempre foi... a desigualdade social impera... o pior que acho que nao tem mais jeito...

Beijos...

Nilson Barcelli disse...

Também não entendo.
Mas, se um milhão de euros é uma fortuna incalculável para nós, quem tem 5 milhões já lhe parece pouco. Será?
Lembro-me daqueles namorados a quem saíram 15 milhões no euro-milhões e andaram anos na justiça porque ambos queriam todo o dinheiro...
Querida amiga Carmem, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Pedro Luso disse...

Olá Carmem.
Esta sua crônica, "Sem limites", parece que foi escrita por uma brasileira, aqui residindo, ou que foi escrita pela Carmem, talentosa portuguesa, para nós brasileiros.Excelente crônica!
Desejo a você uma boa semana.
Abraços.