17/11/14

A Dor



A Dor entranha-se
em cada pedaço de célula.
Instala-se,
faz-se dona deste corpo
que não é dela.

Mas quer lá saber.
Licença não existe
para ser pedida,
mas para fazer
a poucos
acreditar
que limites existem
para quem tem que os respeitar.

Dor não tem limite.
Dor não tem respeito.
Dor não pede,
mas apodera-se!
Dor não conhece o direito.

E eu?
Eu sou presa da Dor.
Sou a que
não lhe conhece o limite.

Não tenho direito,
não conheço o respeito,
não sei pedir,
pois sei que não há que receber.
Mantenho-me aqui,
sei
que não há para onde ir.

2012


17 comentários:

Dorli disse...

Oi Carmem
Doída e real poesia
Eu sinto muita dor e não dei licença para ela entrar, mas um dia ela acaba para sempre.
Saudades de você.
Beijos no coração
Lua Singular

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

A dor não pede licença. Instala-se.
Gostei muito!
Beijo*

Maria Eu disse...

Sei desse lado da dor. Vejo-a perto.
Tem que haver lenitivo. Temos que crer nisso!

Beijinhos Marianos, Carmem!

Graça Pereira disse...

Gostei deste poema quefala daquilo que tanto nos custa a suportar : a dor!
beijo
Graça

Arco-Íris de Frida disse...

Achei triste... bonito... mas triste...

Beijos...

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

É difícil conviver com a dor,principalmente se for d'alma.
Linda poesia amiga Carmen.
bjs e obrigada pelas visitas.
Carmen Lúcia.

Jossara Bes disse...

"Dor não tem limite nem respeito"!
Assim mesmo, invade!
Ficção ou realidade, descrição perfeita da "dor"!
Felicidades para você!

EU disse...

É um facto: é uma descarada que entra sem pedir licença e, mesmo se convidada a sair, recusa e ainda troça do nosso estado!
Há que ser veemente e expulsá-la!
Gostei imenso deste poema sentido e com uma pitada de originalidade.
Meu beijo, Carmen :)

Fê blue bird disse...

Boa noite Carmen:

Só quem a sente compreende todo o alcance deste seu sentido poema.


beijinho


heretico disse...

um belo parto poético - com dor!

beijo

Lu Nogfer disse...

Ola Carmem.

Apesar da dor que também é tão inspiradora aos poetas, o teu versar ficou grandioso! Parabens!

Beijos.

Ives disse...

Olá! Não posso sentir a dor do irmão, mas posso entende-la e tentar entre as flores a suavidade das mãos! abraços

SOL da Esteva disse...

A dor é coisa que ganhamos sem merecimento.
Assim, ela torna-se companhia e conduz a nossa forma de viver. Só temos que "sofrer sempre sorrindo, para fazer sorrir os que sofrem".
Belo Poema.


Beijos


SOL

manuela barroso disse...

A palavra dor, já é triste.
Mas ganha encanto quando numa poesia assim.
Um despertador , um alerta mas deprimente
Bjis!

Clau disse...

Olá Carmem,
Poema muito bem escrito,
e embora triste, é belíssimo.
A dor é uma hóspede que incomoda,
e deve ser tratada como visitante.
E chega um momento que ela nos deixa,
(isso após reaalizar em nós, seu ciclo...).
Beijos!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, a dor chega e instala-se comodamente para nos fazer sofrer, seu lindo poema alivia a dor, é fantástico.
AG

© Piedade Araújo Sol disse...

a dor nunca é desejada.
mas vem e entranha-se e fica....
um poema cheio de sentires e alguma dor.
beijinho
:)