08/11/14

Veio e ficou




A tristeza
veio
e ficou.
Subtilmente,
talvez até demais,
mas ficou.
Eu disse-lhe
que não
era bem vinda.
Mas ela,
a tristeza,
fez ouvidos moucos.
Nada disse,
não argumentou,
nem um queixume
me deixou.
Mas ficou.
Deixou-se estar.
Quase acreditei
que viesse
a puxar duma cadeira
e sentar-se.
Mas não.
A tristeza
deixou-se estar.
E permanece de pé.
Afronta-me.
Sentei-me eu.
Levantei-me.
Tornei a me sentar.
Desesperei.
Encarei-a.
Quis enfrentá-la.
Mas a procurar
seu rosto,
pelo que vi...
Estremeci.
Vi nela,
naquela intrometida
tristeza,
o que um dia,
muito atrás
no tempo,
mostrou-me
o espelho meu.
Vi no rosto
daquela macabra
tristeza
o rosto
que um dia foi meu.
O horror
obrigou-me
a recuar.
Mas ela,
a tristeza,
manteve em mim
o seu olhar.
O seu olhar?
Ou seria
o seu
aquele olhar que,
um dia,
fora meu?
Desorientei.
Perdi o norte.
Quis gritar.
Mas não gritei.
A sensatez
falou mais alto.
Não gritei.
Tristeza suporta-se.
Escândalo, não.

13 comentários:

SOL da Esteva disse...

Poema que retrata, magníficamente, a tristeza companheira (forçada) de muito tempo, talvez demasiado.
Gostei particularmente desta composição.
Parabéns.


Beijos


SOL

Manuel disse...

Reflexos na alma de um poeta. A luta entre o que é e o que deve ser.
Belo modo de expressar os sentimentos

Fê blue bird disse...

Quase um grito este seu comovente poema.
A tristeza quando teima em ficar é difícil resistir.

beijinho

Pérola disse...

Conheço tão bem este estado de alma.
Estas palavras quase me foram roubadas: Só nunca as tinha conseguido reunir.

Obrigado.

Beijinhos

Lilá(s) disse...

Poema profundo e belo!
BJs

Ani Braga disse...

Oi Carmem querida

Que poema maravilhoso...
Por vezes me vi descrita nele.

Lindo!


Beijos
Ani

Arlete Mourige disse...

Que lindo poema.A Reflete a luta de sentimentos de um poeta.Boa semana.Bjs

Jossara Bes disse...

Falar de tristeza é externar desassossegos!Falar assim de uma maneira tão boa de se ler é dom, é o coração da Poetisa!
Tenha uma semana muito feliz!

Regina Magnabosco disse...

Se a tristeza conversasse com a gente, talvez fosse menos dura a sua visita.
Bela poesia, Carmen. Senti-me nela, na tristeza muda que nos derruba.
Um abraço.

heretico disse...

uma cascata de palavras harmoniosas.
belas e bem ritmadas.

beijo

Manuel disse...

Li mais uma vez o lindo poema, valeu a pena.
Desejo de um bom resto de semana!

Mariazita disse...

Olá, Cris
Achei este poema maravilhoso!
Talvez porque retrata tão bem o meu estado de alma, que tantas vezes é visitado pela tristeza...
Senti-o de forma muito particular.
Obrigada, querida, pela partilha.

Continuação de boa semana.
Beijinhos
Mariazita

José Carlos Sant Anna disse...

Belo poema, Carmen. A tristeza é um pomo silencioso, que nada quer ser, mas acaba por ser tudo quando voluptuoso faz morada em nosso corpo.
Abraços,