06/06/16

Os olhos dos poetas





“As cores estão lá, no poente. Mas quem só vê as cores não vê nada.
A beleza nostálgica do sol que se põe é uma dádiva dos olhos de quem a vê como quem vê pela última vez.
Os olhos dos poetas são sempre olhos que se despedem.”


Rubem Alves

Se tivéssemos a consciência de que não haveria outra oportunidade, com certeza olharíamos de forma diferente. A nuance de vermelhos tomaria uma outra dimensão.




42 comentários:

Tais Luso disse...

Bem, Carmem, primeiro digo que linda foto! O bom é vê-la num todo, no conjunto.
Gostei, também, da citação. O mal é sempre esperar o que poderá vir depois: algo mais grandioso nunca antes visto. E perdemos bela oportunidade de interagir com o momento. Realmente somos insaciáveis, e acabamos por perder o que realmente está ao alcance, o que tem valor.
Muito boa postagem.
Beijinho, uma tranquila semana.

Dilmar Gomes disse...

Cara amiga Carmem, o post me trouxe à mente o poema de Fernando Pessoa, do livro Guardador de Rebanhos "Meu olhar é nítido como um girassol". Tomei a liberdade de colá-lo aqui. Espero que não tomes por mal minha atitude.


FERNANDO
PESSOA
Poemas de
Alberto Caeiro

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...
Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Eu não tenho filosofia; tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...

Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...

Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos", 8-3-1914

Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

✿ chica disse...

Linda frase de Rubens Alves e tu completaste maravilhosamente! Concordo contigo, bem verdade! Olhar com atenção sempre! bjs, chica

mム尺goん disse...

Alguns
infinitos
são
maiores que
outros...


[para quem tem olhos de ver]


beijo

AC disse...

Carmen,
Tenho para mim que, no pôr-do-sol, os deuses dispensam-nos, por brevíssimos momentos, a compreensão das coisas. Mas é mesmo só por ínfimos momentos. :)

Uma boa semana :)

Ana Freire disse...

Quem dera que sempre tivéssemos essa mesma consciência, em todas as nossas actuações... e nunca deixássemos nada por dizer ou fazer... pois por vezes, poderá não haver outra oportunidade...
Magnifico post, Carmem!
Beijinhos! Boa semana!
Ana

Elvira Carvalho disse...

Quase sempre olho tudo com olhos de ver, e cada vez mais como se fora a última vez. Por isso eu digo que "o meu olhar é mágico"
O meu olhar é… mágico


O meu olhar é mágico.
Ele é o portal de entrada na vida que me rodeia.
É a borboleta que dança inebriada
Sobre um canteiro florido.
Ele é a alegria esfuziante da criança,
Que brinca
Sob o atento olhar da mãe, que sonha
Para ela um futuro radioso.
Ele é o Amor latente nos jovens
Que trocam beijos num banco de jardim.
O meu olhar é mágico
Ele é a lágrima escondida na solidão dos idosos
A quem o desemprego levou
Os filhos na mala da emigração.
É a dor sem tamanho daquela mãe
A quem um acidente brutal roubou
A luz dos seus olhos.
Ele é o mar que no horizonte
Se funde no espaço celeste.
Ele é a nuvem que passa
O vento que verga as árvores
E o sol que a todos afaga.
O meu olhar é mágico
Porque ele é o portal das emoções
Que compõem a Sinfonia da Vida.

Maria Elvira Carvalho.

in Antologia de Poesia da Chiado Editora " Entre o sono e o sonho"
Um abraço e uma boa semana

alfacinha disse...

essas palavras poéticas dão o por-do -sol mais conteúdo.
abraço

BIA disse...

Olá Carmem!

Realmente lindo a imagem e palavras! Uma ótima semana!

Bjs

Guaraciaba Perides disse...

Oi, Carmem...que belo texto poético diante de uma foto bela e melancólica!
verdadeira constatação do ocaso seja da natureza ou da vida...mas tudo se renova sobre a face da Terra...
Um abraço, Paz e Amor

lenalima disse...

Devemos sempre contemplar com os olhos da alma e como se fosse a última vez, mas que saberá? bjs

Cristiane Marino - Mulheres em Círculo disse...

É a mais pura verdade...
Lindo texto!
Bjs

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Carmem!
Verdade! A Graça passa e não temos mais oportunidade de rever nossa conduta ou pensamento que seja...
Lindas cores pra nós de paz interior!
Bjm muito fraterno

Artes da Velha disse...

É bem verdade, mas ainda bem que acreditamos que há outra oportunidade é sinal que queremos continuar vivos e a acreditar no futuro :) mas por outro lado não damos tanta atenção ao que vemos ...
beijinhos

Emília Pinto disse...

Adorei não só a citação de Ruben Alves, como também do poema de Fernando Pessoa e o da nossa amiga Elvira, e tudo se resume no aqui e no agora, no momento presente, neste preciso instante. Não sabemos se teremos um outro instante e há que observar, enxergar, viver intensamente este que temos, porque só passar por ele nao é viver. Muito obrigada pelo belo momento, amiga. Um beijinho
Emilia

Gracita disse...

Só um grande poema tem habilidade poética para descrever um espetáculo com colossal sensibilidade. Ele vê além do que é mostrado E você completou de forma magistral o texto do grande poeta
Uma semana iluminada Carmen
Beijos

Toninho disse...

Olá Carmem, beleza de partilha do Rubem e perfeita leitura analise do pensamento poético.
Abraços amiga.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Não dois dias iguais; não há pôr-do-sol que não tenha uma particularidade única.
"[...]Os olhos dos poetas são sempre olhos que se despedem.”
Ruben Alves, teve o Dom de o dizer, embora cada um seja Poeta a seu modo e na sua capacidade.
Boa escolha, Carmen.


Beijo
SOL

Brisa Petala disse...

Boa tarde Carmem
Que linda frase os olhos dos poetas são sempre olhos que se despedem” Desejo que vc tenha uma abençoada tarde de terça feira.

Pedro Luso disse...

Aí esta, Carmem, a visão do poeta. Por isso são eles tão admiráveis.
Abraço.

graça Alves disse...

"Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos."
Saint-Exupéry

O poeta vê com o coração!
Bem-haja!

rosa-branca disse...

O olhar do poeta será sempre diferente e tão igual a si mesmo. Linda postagem de dois poetas que adoro. Beijos com carinho

Marisa Giglio disse...

Carmen , gosto muito da escrita de Rubem Alves e também achei precisa sua observação . Agradeço a partilha . Beijos

heretico disse...

"Os olhos dos poetas são sempre olhos que se despedem.”

nunca tinha pensado nisso, mas estou tentado a dar razão.

aprecio pessoas com humor. bem vinda.

Abraço

manuela baptista disse...

eu acho que os poetas têm olhos de sol-nascer


um abraço, Maria

Miss Smile disse...

Tenho a certeza que, se tivéssemos a consciência de que não haveria outra oportunidade, com certeza viveríamos de forma melhor. Por vezes, andamos demasiado distraídos da vida, do que é essencial.

Um beijinho, Carmem

Avelã disse...

Sem dúvida que o filtro da personalidade dá um outro prisma a cenas banais :)

Marieta Mello Koerig disse...

Querida Carmem,
Obrigada amiga, pela mensagem que me passaste há dias, porém, somente hoje é que me foi possível acessar a internet, devido a uma grande pane que houve com meu provedor. Obrigada pelo incentivo que me deste, mas acredito que vai demorar ainda a me dispor pintar, pois tenho que resolver uma série de problemas que vão surgindo, mas se Deus quiser, qualquer dia retornarei à pintura.
Lindos comentários sobre um por de sol. Para mim, são um dos momentos mais importantes de um dia bem vivido. Ele nos faz reviver os momentos que passamos ao longo do dia: uns de tristeza outros de alegria e no final o Ser Supremo sempre nos presenteia com aquele panorama grandioso e único que nos enleva e nos faz render graças pelo dia que passou.
Um grande abraço.

lis disse...

Oi Carmem
Saudade de ti!
Nao saberia explicar a minha demora, aconteceu e foi acontecendo, entende?pensei que nao voltaria _mas cá estou feliz de ler-te e saber o que fazes o que gosta o que sentes daí de longe.
Nada se compara a esses momentos que dedilho aqui nesse teclado mesmo sem saber escrever sem saber fazer poemas apenas com o coração nos dedos.
E as cores da imagem? é um momento belo que fecha ou abre o dia e espalha sonhos carícias e possibilidade mil para um novo dia.
Obrigada por me acolher por deixar seu carinho na minha pagina.
um beijo Carmem

Patricia Merella disse...

Rubens tinha uma extremidade única de ver a vida é nos deixou um lindo legado.Que fantástico isto que dissestes. Feliz final de semana querida, beijinhos

Crocheteando...momentos! disse...

Os poetas têm as duas magias: alvorecer e anoitecer!
Bj e bela escolha

Rosa disse...

Acredito que mais importante do que enxergar os vários tons de vermelho é saber apreciar cada um deles... Antes de saber que eu era míope eu pensava que todo mundo enxergava ruim como eu - a gente sempre se toma como parâmetro, não é mesmo? Daí, desde o momento que uma professora reparou na minha deficiência e ela foi corrigida, percebi o privilégio que é enxergar o todo e cada detalhe, procurar não deixar nada passar em branco, apreciar tudo. Prá mim tudo tem poesia... Beijos, Carmem querida, chorona como eu...

Clau disse...

Oi Carmem,
Amo o pôr do sol \o/
Não canso de admirar
seu magnetismo, beleza,
e nuances sem igual...
Que linda postagem!!
Beijos e ótimo fim de semana!

Clau disse...

Olá Carmem,
Vim agradecer o lindo e doce comentário,
e te agradecer pelos parabéns!
Amo celebrar a renovação da vida \o/
Beijos!

Ailime disse...

Boa tarde Carmen,
Magnifica foto e pensamento completado por suas lindas e verdadeiras palavras.
Diante de tamanha beleza os poetas se detêm por tempo infindável.
É como se o mundo acabasse ali naquele momento e há que eternizá-lo.
Beijinhos e bom domingo.
Obrigada pelas suas carinhosas visitas.
Ailime

Maria Gloria D'Amico disse...

Pois, Carmen, com este olhar, único e último, é que deveríamos ter por todas a vida, em todos os instantes.
Muito valorosa a tua postagem, querida. beijinhos.

Anete disse...

Uma reflexão muito boa!
Os poetas veem coisas belíssimas e incríveis... Dizem que são mentirosos e que vivem no mundo da lua... Vale a pena ser poeta! Rsss, lembrei agora do Quixote/Cervantes!

O meu abraço... Uma semana abençoada...

AMALIA disse...

Muy hermosa imagen y bellas palabras.
Un abrazo y muchas gracias.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Carmem, que belíssima paisagem (foto), a qual nos faz refletir o quanto enxergamos, mas não vemos. As belezas da natureza, presentes de Deus, e na maioria das vezes , nem tomamos conhecimento. E, tudo é tão belo, as cores que vemos, são intensas quando as vemos com os olhos da alma, olhos calmos, cheios de oração. Belíssimo! Beijos!

Rita Sperchi disse...

Vendo a imagem já vejo o que os
poetas diriam...achei um post lindo
vc tem bom gosto bjuss querida de boa noite
com bons sonhos

Rita

Odete Ferreira disse...

É pelo olhar que a nossa idiossincrasia se manifesta, sobretudo no que respeita à arte em geral.
Meu bjo e parabéns por essa fantástica foto.

Jussara Neves Rezende disse...

Quem bem casaram a imagem e o pensamento do Rubem Alves! E o seu comentário abençoou o enlace!
:)