14/04/16

O tempo, tão gentil




O tempo,

esse senhor que não detém grande predicado, deixou-te, na sua passagem, sem embrulho nem laço, que tudo serve ao embaraço, a quezília com a gravidade que impera sobre teu corpo e ordena que tudo desça um andar:

descem os sonhos em cheia catadupa, a tropeçarem uns nos outros na ausência das concretizações, alheios às querenças, soterrados pelo marasmo dos dias atolados de prioridades;

descem os ombros que outrora ergueram o mundo, suportaram a faina e carregaram os filhos, agora caídos na leveza do nada;

descem os seios que aconchegaram o bater de corações e alimentaram gerações, agora tombados no desquerer;

desce o nariz que apontou ao céu, que não lhe apagou as certezas, que não lhe retirou o garbo, agora derrubado pela descrença;

descem os lábios que abriram sorrisos, cantaram vitórias, encerraram segredos e agora descem em trilhos vincados pelas respostas caladas, injúrias sofridas e cantigas esquecidas;

desce tua própria vida, no tempo perdida… assim, meio que descaída…











38 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Um texto muito belo e muito real.
Um abraço

✿ chica disse...

Lindo, reflexivo e falar do tempo é mesmo assim! Gostei muito! bjs, chica

Bergilde disse...

Inúmeras vezes permanecemos mesmo perplexos diante do poder do tempo e de sua implacável e imparcial determinação na vida de todos nós.Viver o presente parece ser a única opção em nossas mãos,aproveitando da melhor forma possível cada situação vivida e o que passou possa realmente nos servir como lição. Ótima reflexão,abraços e bom dia!

Miss Smile disse...

(...)
"E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se evolam tantos anos"

David Mourão-Ferreira/E por vezes

Carmem, uma prosa bela e certeira, burilada pela sabedoria e experiência de vida. Uma maravilha.

Um beijinho :)

Ivone disse...

Carmem, quanta poesia aqui nesse texto, nossa, li e repeti as palavras para sentir toda a energia positiva, sim, o tempo nos dá essa capacidade de olhar para trás e sentir que ele, embora passe, nos dá a certeza que é bom, é gentil, é sim!
Amei imensamente em ler aqui, ah, quanta sensibilidade tens minha amiga poetisa, és uma poetisa sensível e sensitiva!
Abraços bem apertados repletos de boas energias, assim como seu lindo texto!

Ana Freire disse...

O tempo... e a vida... num extraordinário, belo e muito lúcido texto... que acho absolutamente admirável, como tudo tão bem sintetizou e abordou!...
Maravilhoso trabalho, Carmem!
Inspiração e talento, no seu melhor!
Para ler... admirar... e reler...
Beijinhos
Ana

Clau disse...

Olá Carmem,
O texto é maravilhoso...
refletir sobre o tempo é bom,
eu gosto!
Nem sempre ele é tão gentil, mas
nos ensina muitas coisas...
Beijos ;)

Diana Fonseca disse...

O tempo passa demasiado rápido!

Giga disse...

Hello. Interesting thoughts, I like. Regards.

Benó disse...

Precisamos de não deixar descer os ombros. Os seis, os lábios, o ventre, menos os ombros que seguram a vida. Gostei de ler.

Minhas Pinturas disse...

Querida Carmem O texto é maravilhoso, apesar de mostrar uma realidade difícil de enfrentar, onde tudo cai, ou se perde, até as lembranças boas se turvam.
Mas é tão bem escrito de maneira poética o que o futuro nos reserva, que vou torcer para que haja futuro para lermos esses ótimos textos que você escreve.
beijinhos, Léah

Mariangela do lago vieira disse...

Um texto lindíssimo e real, muito bom para uma boa reflexão!
Que tenhas um dia muito feliz Carem!
Beijos,
Mariangela

Guaraciaba Perides disse...

OI, Carmen...amargo e verdadeiro. Mas, vamos pensar que enquanto a matéria desce vai libertando a alma para reconhecer o que há de sublime em nós...a doação de nossa própria vida para que se elevem outras na árdua missão que nos foi dada e que você citou em sua reflexão.
Um abraço, Paz e amor

MARILENE disse...

Carmem, que maravilha de texto! Os efeitos do tempo foram ricamente descritos, não se fixando apenas nas modificações que o espelho nos apresenta. Seu pior efeito é penetrar no mundo dos sonhos, tornando-o restrito, enquanto as memórias já abraçam o cansaço. Bjs.

manuela barroso disse...

Que me sobra para dizer de tão reflexivo testemunho décima tempo que ora parece nunca acabar , para quem sofre , ora parece levar no pó tudo que ficou por fazer? Que parece rir das marcas deixadas , que parece sofrer com a dor que ficou ? A verdade é que fazendo parte deste tempo, o levamos as costas vergados com tudo a que tivemos que obedecer . Para ler e voltar de novo , Carmen!
Beijinho !;)

ReltiH disse...

MUY COHERENTE TU TEXTO.
ABRAZOS

mz disse...

Eu também tenho dias em que me surge essa quezília com o tempo e sinto-me "... assim, meio que descaída ..."

:)

Gostei muito!
Bjs

Jaime Portela disse...

Tudo desce com o tempo...
Excelente reflexão. Parabéns, gostei de ler e reler.
Bom fim de semana, querida amiga Carmem.
Beijo.

Arco-Íris de Frida disse...

Nao tem como enganar o tempo...tudo desce,é inevitavel, a unica coisa que podemos fazer é aproveitar bem o tempo que nos é dado, pq quando tudo descer,estejamos bem espiritualmente...

Beijos, Carmem...

Brisa disse...

Amiga
Há sempre tempo para tão pequenos e grandes momentos...
Gostei do teu texto

Bjo

aluap Al disse...

O tempo passa para todos com a mesma velocidade e nem com botox se consegue frear o tempo; temos de situar-nos no tempo e vivermos bem com as 'pontas' descaídas.

Bom fim de semana.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Embora triste,
não há como negar
que esta é a maior das verdades...
O tempo,
tempo rei,
senhor do nosso destino...

Um imenso abraço.

Ane disse...

Oi Carmem! O tempo para algumas coisas é bom,como por exemplo,aplacar a dor de perder alguém querido...mas em outras...nosso corpo só decai com o tempo,enquanto os sonhos morrem.O negócio é aproveitar a vida todos os dias o máximo possível!Muito bom o texto.Um abraço!

Laura Santos disse...

Um texto poético e de uma profunda lucidez. O tempo, esse eterno regente de vidas, implacável e irredutível. Veste de névoa as nossas memórias, e os sonhos que viviam em salões cabem depois num simples baú. Com a passagem do tempo por mais que não se queira, tudo descai e tudo se vai no envelhecimento da nossa pele e do nosso olhar.
Admirável, Carmem.
Bom domingo.
xx

ॐ Shirley ॐ disse...

Carmem! Você descreveu a realidade, sem nenhum exagero, sem dó nem piedade... Palavras que mais parecem flechas certeiras apontadas para o nosso coração.Sigamos, então, nosso caminho, com sabedoria,pois, do tempo ninguém se esquiva.
Muito bom, Carmem!
Beijos!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, o tempo não para, mas marca, somos o tempo que devemos aproveitar intensamente, Obrigado pela linda musica "ESSE MAR É MEU," não conhecia, ficou a fazer parte do meu arquivo.
Boa semana,
AG

heretico disse...

o tempo é "grande escultor", sem dúvida...

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

O tempo essa "coisa" que para nosso desespero nunca pára.
Um belo texto.
Um abraço e boa semana.

Graça Pires disse...

Um texto excelente! Realmente o tempo tece e destece as nossas vidas sem pedir licença...
Um beijo.

Lu Nogfer disse...

Olá Carmem.

Um belo e reflexivo texto. O tempo tem a sua própria vontade e é o senhor de todas as horas que passam.
Muito bom te ler!

Beijinhos.

São disse...

Um belo texto que merece reflexão...
Beijinhos e feliz semana

Ana Tapadas disse...

Uma maravilha de texto a esse Kronos que tudo devora.
Minha amiga...é a lei da gravidade.

Beijinho

Emília Pinto disse...

Ai o tempo, esse senhor tão gentil, dizes tu, Carmem. Dizemos muitas vezes que ele é o nosso melhor amigo...ajuda a cicatrizar feridas, a amenizar dores, a parar tempo do aqui e agora e sorrirmos com algo belo que acaba por nos acontecer.Ele passa a seu tempo, no seu ritmo, mas dá-se por completoa nós, permitindo que façamos dele o que quisermos por quanto tempo quisermos e da maneira que desejarmos. Não podemos dizer que não é gentil. O problema é que nós nem sempre sabemos que o tempo nos pertence e não o aproveitamos com tempo, devagar, sem correrias. É certo que nem sempre o sabemos fazer e mais certo ainda é que no tempo manda a vida e essa vida controla-nos e muito. Mas, chega um tempo em que, apesar de tudo descair e o corpo ficar mais frágil, temos mais tempo para saborear cada instante desse tempo. Claro que temos menos tempo de caminhada, mas o que temos é todo nosso, sem necessidade de o repartir e com muito mais experiência para saber a qual instante deste tempo devemos dar prioridade. . Há um poema que sempre conheci como sendo de Carlos Drummond de Andrade, mas parece que não é e que gostaria de aqui deixar, se me permitires. Bem... aqui vai

: CORTAR O TEMPO "


Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez
com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente...

Roberto Pompeu de Toledo ( segundo li na net )

Acho interessante este cortar o tempo em fatias. Não precisamos de o cortar em anos, meses ou até semanas; podemos cortar o tempo que ainda temos em fatias mais fininhas e a cada amanhecer saborear uma delas, deixando a outra para o novo começar se ainda formos a tempo. Apreciaremos cada fatia com mais vagar , com mais tempo, com mais sabor.
E agora com um tempo delicioso de poesia ( e não é??? ) resta -me um pouco mais de tempo para te dizer que sempre gostei do tema tempo, mas que há muito não lia uma reflexão
tão bonita deste nosso tempo. Obrigada, amiga! Que amanhã, tenhas um novo tempo no novo começar que com certeza a vida te vai dar. Beijinhos
Emília

Odete Ferreira disse...

Tudo desce, na verdade. É a condição humana. Contra ele, nada podemos exceto a "subida" da nossa interioridade.
Um texto muito bom sobre uma temática que, mais ou menos, nos aflige, tratada aqui com uma certa originalidade.
Bjo, Carmen. :)

Ghost e Bindi disse...

Boa noite, amiga querida, de pensamentos sempre profundos e sensibilidade à flor da pele!
É verdade, é bem verdade...Assim o tempo age sobre o nosso corpo. Mas que bom saber que ao mesmo tempo em que anula todas as nossas vaidades, ele nos dá a chance de elevar-nos em sabedoria, fraternidade, amor, voltando-nos pra dentro de nós, já que o exterior não mais nos enfeitiça os sentidos, e encontrar ali a raiz de todas as virtudes, intacta, pura, limpa, sempre jovem, porque eterna...
Um feliz final de semana para você
Com carinho
Bíndi e Ghost

Brisa disse...

Minha amiga
Vim reler teu belo texto e desejar-te um bom fim de semana
Bjo

Maria Eu disse...

Querida Carmem, andei a perder os teus posts porque deixaste de aparecer no meu feed e achei que continuavas sem escrever...
O tempo pode fazer das suas mas também nos traz muita sabedoria.

Beijos :)

Marta Vinhais disse...

O Tempo não perdoa...avança... Ou avançamos com ele ou ficamos perdidos...
Mas também nos ajuda a compreender a lógica das coisas...
Gostei muito...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta